Alex Sabino -
26/09/2016
08:30
São Paulo (SP)

Atacantes são conhecidos por marcar gols. Às vezes, por perdê-los. Podem ser velozes. Lentos. Bons no jogo aéreo. Finalizadores. Canhotos, destros ou ambos.

- Então me diga: quantos jogadores são famosos mundialmente por conseguirem levantar 200 quilos?

Apenas um e é justamente o autor da pergunta. Adebayo Akinfenwa tem 1,80m de altura e pesa 110 quilos. Figura folclórica do Reino Unido, ficou conhecido por ser o jogador mais forte nas últimas edições dos jogos Fifa, fabricados pela EA Sports para PlayStation e Xbox. A fama o fez se tornar amigo de Mario Balotelli, ser convidado para programas de TV e virar figura cult do futebol.

- Eu sou a prova de que qualquer um pode jogar. A verdade é que está tudo na mente. Se você acha que pode fazer, nada o impede. Cansei de ouvir que não era bom o suficiente, que era grande e forte demais e que jamais seria profissional. Ninguém está dizendo isso agora, está? - perguntou, em conversa com o LANCE! há três semanas.

É discurso de auto-ajuda de um sujeito que tem fala mansa. Nem parece ser o brutamontes que se exibe em fotos e vídeos. Akinfenwa é uma das figuras mais importantes da história do AFC Winbledon, clube que hoje disputa a terceira divisão inglesa. O gol que selou o acesso foi dele, no último minuto dos playoffs da temporada passada, em Wembley. Em seguida, deixou a equipe e hoje está no Wycombe Wanderers, da quarta divisão.

Aos 34 anos, sabe que não vai chegar à Premier League, a primeira divisão do país, a liga mais rica do mundo. Ele ri de si mesmo e este é um dos segredos da fama. Faz vídeos divertidos e posta nas redes sociais. Antes do início do torneio, gravou uma matéria para a Sky Sports em que carregava o repórter com apenas uma das mãos.

- Por que o futebol precisa ser tão sério? Eu quero que seja divertido. As pessoas pagam caro pelo ingresso todas as semanas porque querem vencer, sei disso. Mas também querem ser entretidas. Elas merecem isso. Por isso que dentro de campo eu sorrio, faço brincadeiras. As pessoas gostam. Faço gols também, claro – acrescenta.


Às vezes, é até possível esquecer dos gols porque o marketing do atacante de família muçulmana, mas convertido ao cristianismo, é a força. Os pratos de comida gigantesco que devora. Os pesos que levanta. As fotos mostrando o bíceps. Recentemente, participou de desafio para o programa de TV “Soccer AM” em que comeu 30 asas de frango apimentadas em meia hora.

Três clubes ingleses (Gillingham, Northampton Town e Wimbledon) conseguiram acessos graças aos gols de Akinfenwa. São 154 em 475 partidas oficiais

- Pode nem ser os gols. Eu abro espaço para os outros jogadores porque as defesas precisam se preocupar comigo. Faço questão de que os zagueiros, muito tempo depois, ainda se lembrem que jogaram contra Akinfenwa – se diverte.

Na atual temporada, tem um gol marcado em nove confrontos. O Wycombe encontra problemas na League Two, como é chamada a quarta divisão, e ronda a zona do rebaixamento. Não exatamente o que ele esperava ao deixar o Wimbledon. Akinfenwa considera que 15 gols por ano é uma média aceitável.

"Procuro usar a força a meu favor. Não sou veloz, mas sei fazer gols, desde que possa usar a força

O atacante se mantém em evidência por causa das redes sociais. Ainda na época do Wimbledon, fez pedido para que os torcedores escolhessem sua comemoração de gol na temporada. Os vídeos dos três finalistas tiveram 500 mil visualizações. Uma quantidade considerável para um jogador fora da elite.

- As redes sociais são uma ferramenta poderosa para os atletas hoje em dia. Não apenas para divertir, mas para lançar coisas - explica.

Apelidado de “A Fera” (The Beast), lançou marca de roupas chamada “Beast Monde On” (algo como “Fera Ligada”).

Tagarela, carismático e esperto dentro e fora de campo, Akinfenwa gosta de trocar brincadeiras com torcedores, mesmo os adversários. Não tem nada a perder. Cabe dentro do personagem de grandalhão engraçado. Tenta se entrosar com os árbitros antes das partidas. Sabe que a simpatia pode render dividendos, especialmente porque ele é um atacante que usa a força. Algo que pode ser confundido com violência.

- Faço musculação quase todos os dias, então sou forte mesmo. Os árbitros hoje em dia já conhecem o meu estilo, mas nem sempre foi desse jeito. Procuro usar a força a meu favor. Não sou veloz, mas sei fazer gols, desde que possa usar a força.

A mesma força que o tornou famoso no jogo de video games. E que faz a fama do atacante mais forte do mundo.