Matheus Dantas 
10/11/2016
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

O Fluminense pode se agarrar a um episódio recente em sua história para sair da crise no Brasileirão, aonde não sabe o que é vencer há seis rodadas. Magno Alves e Marcão são nomes cotados para serem os protagonistas deste capítulo final, que terá um final feliz caso o Tricolor das Laranjeiras consiga entrar no G6 e, assim, garantir a classificação para a Libertadores da próxima temporada.

No início de março deste ano, com o Fluminense correndo risco de não avançar para a segunda fase do Campeonato Carioca, Eduardo Baptista foi demitido do cargo de treinador e Marcão, membro fixo da comissão técnica tricolor desde 2013, assumiu pela primeira vez o comando técnico como interino no clube que defendeu como jogador entre os anos de 1999 e 2006.

Marcão dirigiu o Tricolor nas vitórias sobre o Friburguense e o América, por 2 a 1 e 1 a 0, respectivamente, nas quais o herói do Flu foi o mesmo: Magno Alves. O experiente atacante entrou durante as partidas e garantiu os triunfos. 

Com a demissão de Levir Culpi, Marcão comandará a equipe nas rodadas finais do Campeonato Brasileiro, a partir de terça-feira, dia 15, contra o Atlético-PR. O nome de Magno Alves surge como uma possibilidade para a partida, tendo em vista a condição clínica de Richarlison, que se recupera de uma lesão muscular.

Aos 40 anos, Magno Alves se coloca à disposição para mais uma vez salvar o Fluminense em um momento difícil nesta temporada. Em 2016, foram 41 jogos do Magnata, que balançou as redes adversárias em oito oportunidades.

- Não é superstição, mas que isso se repita. Temos que trabalhar e nos esforçar bastante. Temos condições totais e um grupo bom, mas precisamos jogar a má fase para o lado. Essa fase que tivemos no Carioca, quando precisávamos, ele (Marcão) chegou junto e a equipe correspondeu - afirmou Magno Alves.

A relação de Marcão e Magno Alves é de longa data. Os dois jogaram juntos pelo Fluminense entre os anos de 1999 e 2002, conquistando o título da Série C do Campeonato Brasileiro, em 1999, o Campeonato Carioca de 2002.

Querido pela torcida tricolor, assim como Marcão, Magnata mostrou confiança no trabalho do novo comandante. Para o experiente atacante, a boa relação com os torcedores pode ajudar na reta final do Campeonato Brasileiro.

- Que ele venha repetir o que fez no Carioca. Assim que ele tomou o posto de treinador, a equipe foi muito bem. Vem demonstrando qualidade nos treinos e tenho certeza que isso vai refletir no jogo - completou o veterano jogador.