icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese e Rodrigo Vessoni
icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese e Rodrigo Vessoni
22/08/2015
07:05

O departamento de marketing do Corinthians recebeu aval do futebol para ousar no duelo contra o Cruzeiro, neste domingo, na Arena, pelo Brasileirão. Nos primeiros 45 minutos, os jogadores usarão um meião vermelho e branco, em alusão ao personagem Ronald McDonald, para divulgar a campanha do Mc Dia Feliz, que ocorre no próximo sábado (29), em que a renda é revertida para instituições de combate ao câncer infantojuvenil.

“Impacto” foi a expressão que definiu a aposta neste ação com a rede de fast food Mc Donald’s, em apoio ao Instituto Ronald Mc Donald. O diretor de marketing, Marcelo Passos, calculou os riscos por ter um uniforme "tricolor" no primeiro tempo e explica a intenção.

– Temos uma torcida de 30 milhões de pessoas. É impossível agradar a todos. Quando se contrata um jogador, é a mesma coisa. Mas, desta vez, a causa é nobre. É algo muito maior. Estamos falando de crianças, adolescentes que precisam de ajuda da sociedade. O Corinthians tem a capacidade de mobilizar os torcedores. É um jeito de impactar todo mundo. A causa vale muito mais do que qualquer crítica – afirmou Passos, ao LANCE!.

O diretor alvinegro faz questão de ressaltar que o objetivo do impacto é para a ação, e não para o clube. Nos últimos anos, liderado por outros profissionais, o marketing teve grandes repercussões ao trazer um ídolo, como Ronaldo Fenômeno, e até o inusitado chinês Chen Zizao. Além disso, outro assunto que rende é a terceira camisa, algo do qual o clube espera retorno no início do próximo mês, quando lançará o uniforme laranja, em alusão ao extinto Terrão.

A nova mentalidade é ousar. É o marketing, por exemplo, que coordena troca de provocações com outros clubes por redes sociais e que cria as mensagens do telão da Arena Corinthians, que causou repercussão ao provocar o Internacional com a mensagem “#poenodvd”. O clube entende que tais ideias são válidas e repercutem para o bem.

BATE-BOLA: MARCELO PASSOS, DIRETOR DE MARKETING DO CORINTHIANS, AO LANCE!

‘Vendemos o que o dinheiro não compra’

Como surgiu a ideia de fazer a ação no meião do uniforme?
A primeira coisa que pensamos foi na força da causa. A gente apoiará uma instituição séria, que faz essa ação para distribuir dinheiro para outras instituições sérias,como o GRAACC... A troca de mensagens no Twitter ou um logo na camisa não seria suficiente. Queríamos impactar. Vai faltar uma semana para o Mc Dia Feliz e as pessoas vão se conscientizar mais.

O marketing de vários clubes, desde que o Corinthians trouxe o Ronaldo, virou alternativa para a chegada de astros. O seu departamento pode trabalhar nisso?
Trazer astros, fazer barulho, essas são formas tradicionais e acontecem em todos os lugares do mundo inteiro. O Corinthians não quer parar com isso. O problema é que os clubes brasileiros, em especial o Corinthians, passam por dificuldades financeiras. A nova diretoria entrou com responsabilidade grande para corrigir e melhorar as finanças do clube. Eu adoraria trazer grandes ídolos, mas não temos condições. Não podemos limitar o departamento só a isso. É preciso criatividade, ver o que a sociedade quer, chamar a torcida para o clube...

O Corinthians tem feito diversas ações do Fiel Torcedor. Faz parte da tentativa de chamar a torcida?
Quando o Roberto me convidou para o cargo, nós tínhamos esse ponto em comum. Temos de privilegiar e priorizar o torcedor que prestigia o Corinthians. Temos de dar atenção especial e vender experiências que o dinheiro não compra. Fizemos uma reestruturação no Fiel Torcedor, criamos planos mais baratos, um mais caro, damos benefícios para todos os tipos.... Desde ver o aquecimento na Arena até visitar o CT e ter contato com os jogadores. Também damos parabéns para os aniversariantes no LED da Arena nos dias dos jogos... Dar carinho para a Fiel é essencial.

E qual o objetivo de fazer provocações a outros clubes nas redes sociais ou no telão da Arena?
Não tem coisa mais legal que uma brincadeira sadia entre amigos ou torcedores rivais. Futebol é uma paixão. O jogo de domingo é assunto a semana inteira até outro domingo. O futebol não pode ficar chato. A gente já teve tantos casos negativos, violência, brigas... Por que não estimular o espírito da brincadeira, da curtição? Nosso intuito não é fazer provocação idiota, ofender ou coisa do tipo. Queremos rivalidade sadia.

INOVAÇÕES

Planos do FT
Neste ano, o Corinthians lançou dois planos do Fiel Torcedor: o “Minha Paixão” e o “Minha Nação”, mais barato e mais caro, respectivamente. Com isso, criou uma série de benefícios aos membros dos planos, como participações em ações especiais com o elenco.

Provocações
Nas redes sociais, o Corinthians tem provocado clubes rivais. Flamengo, Santos, Inter e Atlético-MG já foram “alvos”. O telão da Arena Corinthians também não perdoa os rivais após vitórias da equipe de Tite.

Novo uniforme
O Corinthians lançará o terceiro uniforme na cor laranja, em alusão ao extinto Terrão do Parque São Jorge. Estreia ocorrerá no duelo contra o Fluminense. Cor vai gerar impacto aos torcedores.

IMPACTO NO MARKETING

Camisa roxa

Em janeiro de 2008, clube lançou terceira camisa roxa para exaltar o “corintiano roxo”. Houve repercussão grande e até causou protesto.

Rostos fiéis

Na Série B-2008, Timão teve um jogo com uma camisa personalizada com rostos de torcedores, que chegaram a pagar R$ 1 mil pelo espaço.

Ronaldo

Em dezembro de 2008, em parceria com o marketing, o futebol trouxe o Fenômeno. Salário era composto por patrocínios do uniforme.

Zizao

Em fevereiro de 2012, com intenção de atrair o mercado da China, o Timão contratou o atacante Zizao, que mal foi aproveitado por Tite.

O departamento de marketing do Corinthians recebeu aval do futebol para ousar no duelo contra o Cruzeiro, neste domingo, na Arena, pelo Brasileirão. Nos primeiros 45 minutos, os jogadores usarão um meião vermelho e branco, em alusão ao personagem Ronald McDonald, para divulgar a campanha do Mc Dia Feliz, que ocorre no próximo sábado (29), em que a renda é revertida para instituições de combate ao câncer infantojuvenil.

“Impacto” foi a expressão que definiu a aposta neste ação com a rede de fast food Mc Donald’s, em apoio ao Instituto Ronald Mc Donald. O diretor de marketing, Marcelo Passos, calculou os riscos por ter um uniforme "tricolor" no primeiro tempo e explica a intenção.

– Temos uma torcida de 30 milhões de pessoas. É impossível agradar a todos. Quando se contrata um jogador, é a mesma coisa. Mas, desta vez, a causa é nobre. É algo muito maior. Estamos falando de crianças, adolescentes que precisam de ajuda da sociedade. O Corinthians tem a capacidade de mobilizar os torcedores. É um jeito de impactar todo mundo. A causa vale muito mais do que qualquer crítica – afirmou Passos, ao LANCE!.

O diretor alvinegro faz questão de ressaltar que o objetivo do impacto é para a ação, e não para o clube. Nos últimos anos, liderado por outros profissionais, o marketing teve grandes repercussões ao trazer um ídolo, como Ronaldo Fenômeno, e até o inusitado chinês Chen Zizao. Além disso, outro assunto que rende é a terceira camisa, algo do qual o clube espera retorno no início do próximo mês, quando lançará o uniforme laranja, em alusão ao extinto Terrão.

A nova mentalidade é ousar. É o marketing, por exemplo, que coordena troca de provocações com outros clubes por redes sociais e que cria as mensagens do telão da Arena Corinthians, que causou repercussão ao provocar o Internacional com a mensagem “#poenodvd”. O clube entende que tais ideias são válidas e repercutem para o bem.

BATE-BOLA: MARCELO PASSOS, DIRETOR DE MARKETING DO CORINTHIANS, AO LANCE!

‘Vendemos o que o dinheiro não compra’

Como surgiu a ideia de fazer a ação no meião do uniforme?
A primeira coisa que pensamos foi na força da causa. A gente apoiará uma instituição séria, que faz essa ação para distribuir dinheiro para outras instituições sérias,como o GRAACC... A troca de mensagens no Twitter ou um logo na camisa não seria suficiente. Queríamos impactar. Vai faltar uma semana para o Mc Dia Feliz e as pessoas vão se conscientizar mais.

O marketing de vários clubes, desde que o Corinthians trouxe o Ronaldo, virou alternativa para a chegada de astros. O seu departamento pode trabalhar nisso?
Trazer astros, fazer barulho, essas são formas tradicionais e acontecem em todos os lugares do mundo inteiro. O Corinthians não quer parar com isso. O problema é que os clubes brasileiros, em especial o Corinthians, passam por dificuldades financeiras. A nova diretoria entrou com responsabilidade grande para corrigir e melhorar as finanças do clube. Eu adoraria trazer grandes ídolos, mas não temos condições. Não podemos limitar o departamento só a isso. É preciso criatividade, ver o que a sociedade quer, chamar a torcida para o clube...

O Corinthians tem feito diversas ações do Fiel Torcedor. Faz parte da tentativa de chamar a torcida?
Quando o Roberto me convidou para o cargo, nós tínhamos esse ponto em comum. Temos de privilegiar e priorizar o torcedor que prestigia o Corinthians. Temos de dar atenção especial e vender experiências que o dinheiro não compra. Fizemos uma reestruturação no Fiel Torcedor, criamos planos mais baratos, um mais caro, damos benefícios para todos os tipos.... Desde ver o aquecimento na Arena até visitar o CT e ter contato com os jogadores. Também damos parabéns para os aniversariantes no LED da Arena nos dias dos jogos... Dar carinho para a Fiel é essencial.

E qual o objetivo de fazer provocações a outros clubes nas redes sociais ou no telão da Arena?
Não tem coisa mais legal que uma brincadeira sadia entre amigos ou torcedores rivais. Futebol é uma paixão. O jogo de domingo é assunto a semana inteira até outro domingo. O futebol não pode ficar chato. A gente já teve tantos casos negativos, violência, brigas... Por que não estimular o espírito da brincadeira, da curtição? Nosso intuito não é fazer provocação idiota, ofender ou coisa do tipo. Queremos rivalidade sadia.

INOVAÇÕES

Planos do FT
Neste ano, o Corinthians lançou dois planos do Fiel Torcedor: o “Minha Paixão” e o “Minha Nação”, mais barato e mais caro, respectivamente. Com isso, criou uma série de benefícios aos membros dos planos, como participações em ações especiais com o elenco.

Provocações
Nas redes sociais, o Corinthians tem provocado clubes rivais. Flamengo, Santos, Inter e Atlético-MG já foram “alvos”. O telão da Arena Corinthians também não perdoa os rivais após vitórias da equipe de Tite.

Novo uniforme
O Corinthians lançará o terceiro uniforme na cor laranja, em alusão ao extinto Terrão do Parque São Jorge. Estreia ocorrerá no duelo contra o Fluminense. Cor vai gerar impacto aos torcedores.

IMPACTO NO MARKETING

Camisa roxa

Em janeiro de 2008, clube lançou terceira camisa roxa para exaltar o “corintiano roxo”. Houve repercussão grande e até causou protesto.

Rostos fiéis

Na Série B-2008, Timão teve um jogo com uma camisa personalizada com rostos de torcedores, que chegaram a pagar R$ 1 mil pelo espaço.

Ronaldo

Em dezembro de 2008, em parceria com o marketing, o futebol trouxe o Fenômeno. Salário era composto por patrocínios do uniforme.

Zizao

Em fevereiro de 2012, com intenção de atrair o mercado da China, o Timão contratou o atacante Zizao, que mal foi aproveitado por Tite.