LANCE!
21/11/2018
15:54
Rio de Janeiro (RJ)

Ocorreu no mês passado a 1ª audiência de conciliação na ação que o Vasco pede indenização da Lasa Indústria Farmacêutica, empresa que assinou no início deste 2018 contrato de patrocínio master com o clube, mas rescindido em março pelo presidente Alexandre Campello por falta de pagamento. Porém, nenhum representante da empresa compareceu no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) - o judiciário nem conseguiu encontrá-la para citação. O juiz Álvaro Henrique Teixeira de Almeida, da 12ª Vara Cível do TJRJ, despachou em audiência mandando citá-la de novo. Com isto, nova tentativa de audiência de conciliação e posterior julgamento ficou para 2019.

O contrato do Vasco com o Lasa, por um ano, renderia R$ 18 milhões ao clube, com a primeira parcela de R$ 10 milhões tendo que ser paga até 31 de janeiro deste ano. O pagamento não foi feito, assim como os prazos seguintes dados pelos vascaínos. Na época, o presidente Alexandre Campello comentou ao LANCE! sobre o cumprimento do ritual antes da decisão pela rescisão do contrato, o que, de acordo com o dirigente, atrapalhou o Vasco na busca de outro patrocinador para a área master.

– Cumprimos todo o ritual. Deveriam ter feito o primeiro aporte, o mais significativo, no dia 31 de janeiro, não fizeram. Não teve o pagamento e fizemos a comunicação que o contrato determina que você precisa dar um prazo de dez dias para sanarem. Isso foi feito depois do Carnaval e esse prazo terminou agora. O fato desse contrato não ter sido cumprido nos atrapalhou bastante porque nos inviabilizou qualquer tipo de conversa com outro master - afirmou o presidente Alexandre Campello para a reportagem, na ocasião.

Atualmente, o Vasco segue sem patrocinador master. Ocupam as camisas cruz-maltinas de maneira fixa hoje em dia as empresas Refit, GPI, Zoom, Yes!, JJ Invest e Tim.

placeholder