icons.title signature.placeholder HUGO PERRUSO E VINÍCIUS PERAZZINI
11/12/2010
15:37

No percurso até a taça, o grupo alvinegro conviveu com diversas dificuldades. Pela parte administrativa, os salários atrasados atormentaram a vida dos jogadores. Durante todo o Brasileiro, o elenco ficou com três meses a receber. Quantias não estabelecidas em contrato chegaram a sete.

A dívida só foi encerrada após o título, com depósitos feitos com o dinheiro da premiação pelo campeonato e a renda dos jogos decisivos. Os atletas não largaram o clube, apesar dos problemas, e viam a conquista como a única chance de conseguir o dinheiro.

LEIA MAIS:

ESPECIAL 15 ANOS BOTAFOGO CAMPEÃO 95

Lnet! faz série por título do Botafogo no Brasileiro de 95

Botafogo campeão de 95 se inspirou em ídolo nacional

Sérgio Manoel revela que jogou final de 1995 negociado

Outra barreira contornada foi um desentendimento pessoal entre Túlio Maravilha e Gottardo. Os dois discutiram e um dos motivos seriam os privilégios que o camisa 7 tinha em relação a salários. Apesar de não se falarem, no campo os dois tinham o mesmo objetivo e não deixavam a rixa pessoal interferir na união do grupo em prol do título.