Fellipe Lucena
27/02/2017
08:00
São Paulo (SP)

Miguel Borja está convivendo com seus novos companheiros há pouco mais de duas semanas, mas já os conquistou. A comemoração do gol marcado pelo colombiano contra a Ferroviária, quando todos os jogadores que estavam no banco correram para abraçá-lo, é uma prova de que o camisa 12 foi muito bem recebido. 

- O Borja é o artilheiro, um cara que chama para ele a responsabilidade. É um menino do bem, trabalha muito sério. Chegou aqui humilde, o grupo o abraçou - disse o técnico Eduardo Baptista.


Apesar da grande repercussão de sua contratação, Borja passa longe de se comportar como estrela. O atacante faz questão de cumprimentar a todos, sejam jogadores, membros da comissão técnica ou demais funcionários. Extremamente religioso, ele costuma falar pouco e ainda mostra certa timidez, exceto quando está com Mina e Guerra, seus velhos amigos. Além disso, o goleador trabalha sério.

Na última semana, ele foi liberado para receber o prêmio Rei da América 2016 no Uruguai, o que o fez ficar fora dos treinos de quarta e quinta-feira na Academia. Mas o goleador não ficou sem trabalhar, já que fez exercícios indicados pelo clube. Depois do jogo contra a Ferroviária, os preparadores físicos Thiago Maldonado e Marco Aurélio Schiavo foram abraçados por ele no vestiário.


A qualidade técnica do reforço também já começa a chamar a atenção dos companheiros.

- Ele foi muito feliz na finalização, é um cara que vai nos ajudar muito. Ele é bom mesmo, demonstrou isso no antigo clube e a gente espera que ele possa fazer o mesmo aqui - disse Dudu.

- Bom a gente sabe que ele é. Sortudo a gente espera que ele seja até o fim da temporada. Já demonstrou isso na estreia, tem faro de gol. Isso dá confiança, chegar fazendo gols é sempre bom. Fico feliz por ele - acrescentou Michel Bastos.

É possível que Borja faça sua primeira partida como titular já na próxima sexta-feira, contra o Red Bull. Vai depender de sua condição física.