Francisco Barretto e Arthur Nory

Francisco Barretto é o último a se apresentar e supera Arthur Nory para ficar com o ouro. (Ricardo Bufolin/CBG)

LANCE!
31/07/2019
17:47
Lima (Peru)

O Brasil encerrou em grande estilo sua participação na ginástica artística no Pan de Lima, nesta quarta-feira. Após a prata de Caio Souza nas barras paralelas e o bronze de Flávia Saraiva no solo, Francisco Barretto e Arthur Nory conquistaram o ouro e a prata, respectivamente, na barra fixa.

No individual geral, o Brasil também fez uma dobradinha na segunda-feira. Na prova que conta com seis aparelhos, Caio Souza foi ouro e Arthur Nory, prata. Francisco Barretto chegou a dois ouros em Lima. Além da prova desta quarta, o ginasta ficou em primeiro no cavalo com alças, no dia anterior. 

- Estamos colhendo frutos de trabalho duro. A preparação do ano foi pesada, foi difícil. Estamos procurando melhorar o grau de dificuldade junto com a qualidade das séries. Aqui deu para testar. A gente veio preparado. Deu para testar para que ocorra tudo bem no Mundial e que a gente possa garantir a vaga olímpica. - disse Barretto ao ''SporTV''.

O desempenho em Lima é o melhor da história do Brasil na ginástica em Jogos Pan-Americanos. O país conquistou quatro ouros, quatro pratas e três bonzes e com isso, superou o resultado no Rio, em 2007, quando conseguiu quatro ouros, duas pratas e cinco bronzes.

A prova

Em uma série de nível de dificuldade alto, Nory foi brilhante e jogou pressão para cima dos adversários ao marcar 14.533, uma nota altíssima. O único atleta que conseguiu superar o brasileiro foi o compatriota Francisco Barreto, último a se apresentar, que em uma série impecável, fez 14.566. O bronze ficou para o cubano Huber Godoy, com 14.200.

Com as duas medalhas, o Brasil chegou a 12 medalhas de ouro e 10 de prata. O país ainda conquistou 18 de bronze e ocupa a terceira colocação no quadro geral até o momento, atrás do líder Estados Unidos e do México.