Pandemia do novo coronavírus obriga cancelamento da Maratona de Chicago 2020. (Divulgação)

Pandemia do novo coronavírus obriga cancelamento da Maratona de Chicago 2020. (Divulgação)

Iúri Totti
13/07/2020
19:37
Corrida Informa

A pandemia da Covid-19 é responsável por mais um cancelamento entre os grandes eventos do mundo das corridas de rua. Os organizadores da Maratona de Chicago anunciaram nesta segunda-feira (13) que não realizarão a edição deste ano, que aconteceria no dia 11 de outubro, com a expectativa de 45 mil participantes.

Para os maratonistas que já tinham garantido sua vaga na prova deste ano, a organização oferece a opção de receber o reembolso da inscrição ou adiar sua participação para 2021, 2022 ou 2023, sem necessidade de pagar a a taxa de inscrição.

Criada em 1977, este é o segundo cancelamento da Maratona de Chicago em seus 43 anos de existência. Em 1987, por falta de patrocínio, os organizadores trocaram os 42km por uma prova de 21km.

No ano passado, a queniana Brigid Kosgei bateu o recorde mundial feminino da maratona em Chicago, com 2h14m04s, superando a marca da da britânica Paula Radcliffe, de 2h15m25s, obtida na Maratona de Londres de 2003. No masculino, a vitória de 2019 foi emocionante, com o também queniano Lawrence Cherono, com 2h05m45s, sendo um segundo mais rápido que o etíope Debela Dejene.

A Maratona de Chicago é quarta prova entre as seis maiores do mundo que formam a World Marathon Majors (WMM) que foi cancelada por causa da Covid-19. Boston, Berlim e Nova York já tinham anunciado que não realizariam suas corridas este ano. A Maratona de Tóquio aconteceu no dia 1º de março somente com atletas de elite, pois valia como seletiva olímpica para os japoneses. Do grupo da WMM, apenas a Maratona de Londres, que seria em 26 de abril, mantem-se programada para 4 de outubro.