Kareca - Corinthians

Kareca fez apenas 15 jogos pelo Corinthians e marcou um gol (Reprodução)

LANCE!
29/04/2022
14:33
São Paulo (SP)

Ex-jogador do Corinthians, Leomir Silva Teles, o Kareca, vai rifar a camisa que vestiu ao marcar o único gol na carreira pelo time paulista. Com dificuldades financeiras após endividamentos e exageros do passado, o atleta quer arrecadar dinheiro com o uniforme usado em 2008.

- É uma coisa que vale mais do que qualquer dinheiro. Dói o coração, mas é a vida. O pessoal me fala isso tinha que ficar para os seus netos, não tem preço. Eu concordo, mas a situação não me faz apegar a essas coisas. Prefiro resolver, ver quem eu amo bem, eu estar bem e só me restou fazer isso - disse Kareca ao 'Rio Brilhante News'.

+ Briga acirrada por direitos da Libertadores faz Conmebol abrir nova rodada de negociações

O gol marcado por Kareca foi anotado em 2008, em uma partida contra o CRB, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Cada rifa vale R$ 50 e servirá para ajudar em uma dívida de mais de R$ 16 mil acumulada pelo jogador. O número para entrar em contato com Kareca é (67) 99874-4113.

Revelado pelo Águia Negra, o jogador somou apenas 15 jogos pelo Corinthians e depois rodou o Brasil por vários clubes, como: São Caetano, Comercial, Guaratinguetá, Paysandu, Cuiabá, São Bento, Operário, Aparecidense, Brusque e Caldense. A morte do pai e do irmão, ainda em 2008, mexeu com Kareca.

+ Bruno Mazzeo rebate Hélio do Anjos após técnico acusar gritos racistas vindos da torcida do Vasco

- O jogo (Águia Negra x Operário) tinha acabado, estava saindo do vestiário, quando me avisaram que meu pai e meu irmão haviam morrido em um acidente de carro. Aí fui para o Corinthians eu tinha 18 anos. Imagina eu ganhava 600 reais e, da noite para o dia, fechei para ganhar 12 mil lá. Quantas vezes eu estava no meu apartamento e pensava 'dane-se que estou aqui Corinthians, quero meu pai e irmão de volta' e ia para a noite gastava tudo - disse Kareca, que completou:

- Torrei e foi indo. Acabou o contrato, quando acordei não tinha nada. Deixei todo meu fundo de garantia no banco, R$ 69 mil. Ainda bem que temos a casa da minha mãe, nem a minha eu comprei, hoje pago aluguel. Me arrependo, mas não fico remoendo, ia ser pior para mim. Mas com certeza faria diferente. Hoje eu tenho 32 anos, ainda estou terminando o Ensino Médio, e nunca trabalhei fora do futebol - concluiu o jogador.