Transmissão - SBT

Téo José, Mauro Beting e Ricardo Rocha fizeram a primeira transmissão do SBT na Copa Libertadores (Foto: Divulgação)

Matheus Costa*
03/12/2020
16:05
Rio de Janeiro (RJ)

O ano de 2020 foi um ano desafiador em muitos sentidos para praticamente todo mundo, incluindo as emissoras de televisão. Muitos cortes de investimentos e de funcionários aconteceram com todas os canais brasileiros, principalmente os da TV aberta. Entretanto, quem abriu a carteira de forma inesperada foi o SBT, que viu a oportunidade de transmitir futebol depois de 20 anos. Depois do imbróglio entre Globo e Conmebol, a chance de ter os direitos da Copa Libertadores não foi desperdiçada por Silvio Santos. Tudo muito em cima da hora, sem tempo para planejamento. Entretanto, um imprevisto esportivo do clube que entrega a maior audiência, o Flamengo, que foi eliminado nas oitavas de final contra o Racing (ARG), se tornou um desastre para os planos da empresa paulista.

Depois da transmissão da final da Taça Rio contra o Fluminense, o SBT pôde ver com os próprios olhos o que o mercado já sabia há muito tempo: a audiência que a torcida do Flamengo proporciona. Por mais que times de grandes torcidas estivessem na atual edição da Copa Libertadores, o rubro-negro carioca foi a galinha dos ovos de ouro na hora de assinar o cheque para a Conmebol. A expectativa se comprovou e as transmissões dos jogos do Flamengo foram as únicas capazes de competir arduamente - e até vencer - os números da poderosa Rede Globo em suas principais redes - São Paulo e Rio de Janeiro.

A repentina eliminação do Flamengo para o Racing (ARG), na última terça-feira (2), foi um balde de água fria para muita, mas muita gente. Esportivamente e financeiramente, é certo afirmar que o rubro-negro não esperava sair tão cedo da principal competição do ano e que conquistou na última edição, em 2019. Mas a notícia caiu como uma bomba nos bastidores do SBT, que segundo relatos de fontes ao LANCE!, se decepcionaram e ligaram o alerta interno sobre números de audiência para o restante da competição.

Com a decepção rubro-negra na competição, as esperanças por bons números da emissora agora se tornam ao Palmeiras, que vive ótima fase sob o comando do novo treinador Abel Ferreira e garantiu sua vaga para as quartas de final com uma impressionante goleada por 5 a 0 contra o Delfín. Há a esperança de que a maré dos números mude para a próxima transmissão, pois o Alviverde não trouxe números satisfatórios na primeira fase, muito pela futebol criticado que a equipe desempenhava sob o então comando de Vanderlei Luxemburgo.

>> Veja a tabela da Libertadores e simule resultados

O investimento para adquirir os direitos da Libertadores não foi algo fácil para o SBT. Com as chegadas de profissionais para viabilizar as transmissões e cobertura esportiva no canal, como Téo José, Benjamin Back, Mauro Beting e outros, alguns setores sofreram cortes para equilibrar as contas da casa. Portanto, a esperança de retorno em números e financeiro talvez seja a maior preocupação para o canal de Silvio Santos nessa edição.

Será interessante observar os próximos capítulos dessa história. O SBT é conhecido por operar inúmeras mudanças repentinas quando as atrações não entregam os números esperados. O Arena SBT, por exemplo, vem decepcionando na audiência e já pode mudar de dia na programação para tentar uma sobrevida. Silvio Santos e seus diretores alteraram profundamente a grade de programação nos últimos meses em outros setores, portanto, mudanças sobre o futebol na emissora, caso as expectativas não se cumpram, não poderiam ser consideradas como uma surpresa.

Veja a comparação de audiência entre Palmeiras e Flamengo no SBT:

PALMEIRAS (em São Paulo):

Palmeiras x Bolívar: Média de 10 pontos
Palmeiras x Guaraní-Par: Média de 9 pontos

FLAMENGO (no Rio de Janeiro):

Flamengo x Independiente Del Valle: Média de 21 pontos
Racing x Flamengo: Média de 20 pontos
Flamengo x Racing: Média de 21 pontos

*Estagiário, sob supervisão de Tadeu Rocha.