Celso e Mário - posse Fluminense

Mário Bittencourt e Celso Barros tomaram posse no dia 10 de junho (Foto: Mailson Santana|Fluminense)

Joel Silva
12/07/2019
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

Nesta sexta-feira, Mário Bittencourt vai iniciar o seu segundo mês como presidente do Fluminense e até o momento, não decepcionou, tendo em vista que nos primeiros 30 dias no cargo, o mandatário cumpriu muitas de suas promessas de campanha.

A começar pela situação dos salários atrasados. Antes de assumir a presidência tricolor, Mário Bittencourt afirmava que resolver essa questão era a sua principal prioridade e de fato foi o que se viu desde e sua posse, que aconteceu no dia 10 de junho. Em um mês, o clube quitou os meses de abril (CLT) e maio (CLT e direitos de imagem). Em tese, três folhas salariais.

Outra promessa cumprida pela nova gestão foi a contratação de um goleiro. No dia em que venceram a eleição, Mário e Celso afirmaram que iriam trazer um jogador para a posição e essa demanda aumentou após o doping de Rodolfo. Após tentar trazer Walter, do Corinthians, a diretoria conseguiu contratar Muriel, goleiro experiente que passou dois anos no Belenenses, de Portugal. O melhor de tudo, sem custos, já que o atleta estava livre no mercado.

O momento mais conturbado de Mário Bittencourt à frente do Fluminense foi a possível saída do atacante Pedro para o Flamengo. No episódio, o presidente teve pulso firme, se mostrando irredutível em negociar o jogador por um valor abaixo da multa rescisória, mesmo com uma proposta que poderia resolver boa parte dos seus problemas financeiros mais urgentes. A postura fez com que o mandatário ganhasse muitos pontos com os tricolores.

Por fim, repatriou grandes ídolos do passado, com o intuito de fortalecer a pele tricolor dentro do Fluminense. Com a saída de Léo Percovich para o Middlesbrough, Marcão voltou ao clube para exercer o cargo de auxiliar técnico, função que desempenhou de 2013 a 2017. Além do ex-volante, Aílton, Duílio e Cadu foram contratados como coordenadores técnicos das categorias sub-20, sub-17 e sub-15 respectivamente, trabalhando diretamente com a base em Xerém.

Pendências

Nesse primeiro mês de gestão, Mário Bittencourt cumpriu muitas promessas, porém não todas. O tão sonhado patrocinador master ainda não foi anunciado. No entanto, o presidente afirmou em diversas oportunidades que algumas conversas estão adiantadas com algumas empresas. O novo fornecedor de material esportivo também não foi apresentado. Entretanto, o Fluminense tem até o fim do ano para resolver essa questão, já que o contrato com a Under Armour se encerra no mesmo período.