Treino da Seleção Brasileira - Thiago Silva

(Foto: Pedro Martins / MoWA Press)

Marcello Neves
02/07/2018
21:03
Rio de Janeiro (RJ)

Um dos destaques da vitória por 2 a 0 do Brasil contra o México, pelas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia, o dia 2 de julho também traz outras lembranças ao zagueiro Thiago Silva. Há uma década, o "Monstro" - como ficou conhecido pela torcida do Fluminense - entrava no Maracanã para disputar a final da Libertadores, contra a LDU, do Equador.

Apesar do resultado final não ter sido o que os tricolores imaginavam e gostariam, aquela campanha é lembrada até hoje, tanto nas arquibancadas quanto pelo próprio Thiago Silva, ex-camisa 3 do Flu.

- Sem duvida, foi um dos maiores momentos de minha vida e de minha carreira. Independentemente do resultado, chegar a uma final de Libertadores, jogando em casa, é algo muito especial e com certeza, inesquecível - garantiu.

Aquele elenco ficou marcado na História do clube, principalmente por tudo que permeou a campanha na competição, como a classificação no último minuto sobre o São Paulo, com gol de Washington - que credenciou o time às semifinais -, e a vaga na final, garantida após eliminar o tão temido Boca Juniors, da Argentina.

- É difícil. no momento, conseguir enxergar e entender o significado, mas com o passar do tempo, dos anos, tenho certeza, que enxergamos ter realizado algo muito importante - disse.

Ao entrar em campo na noite daquele 2 de julho de 2008, a missão do Fluminense era mudar o panorama depois da derrota por 4 a 2 no primeiro encontro com a LDU. Mas os comandados do então técnico Renato Gaúcho chegaram muito perto, fazendo 3 a 1, mas perdendo nos pênaltis.

'Sem duvida, foi um dos maiores momentos de minha vida e de minha carreira. Independentemente do resultado, chegar a uma final de Libertadores, jogando em casa, é algo muito especial'

- Conversamos e trabalhamos taticamente, para tentar reverter o resultado adverso. Era algo difícil, mas sabíamos que no futebol, nada é impossível - apontou ele, que completou:

- Na ida, tentamos ter cuidado com a questão da altitude, mas é algo muito peculiar e que, em alguns momentos, foge de nossas ideias. Na volta, tínhamos que superar tudo, foi o que tentamos...

Thiago Silva aponta que a vontade demonstrada em campo em cada partida da Libertadores daquele ano foi uma marca do elenco e que fez com que, até hoje, falasse sobre a competição:

Thiago Silva
'Monstro' após a final da Libertadores (Divulgação)

- Tenho certeza, que todos deram seu melhor e isso é algo que nos deixou muito próximo de ter a maior conquista do clube. O resultado não aconteceu como queríamos, mas a nossa entrega e algo que sempre será lembrada.

No ano seguinte, o "Monstro" se transferiu para o Milan, da Itália, onde ficou até 2012, antes de acertar a ida para o Paris Saint-Germain, da França. Porém, Thiago admite que gostaria de ter a Libertadores na galeria de títulos conquistados na carreira.

- Gostaria muito de poder ter essa conquista, mas o futebol é muito dinâmico e fica difícil dizer que seria um objetivo. Porém, se acontecer algum dia, sem duvida, seria um motivo de felicidade muito grande.

Bate-bola

1. O Fluminense perdeu a ida por 4 a 2, conseguiu o 3 a 1 na volta, mas não conseguiu ser campeão. O que você acredita que faltou para sair com o título?

Acho que se tivesse essa resposta, teríamos realizado naquele dia, mas sem duvida alguma, cada um, deu o seu melhor em busca de algo que queríamos muito.

2. Falando em Boca Juniors, você marcou o primeiro gol do Fluminense contra eles, na Argentina. Considera o gol mais importante da sua carreira?

Sem duvida, um dos mais importantes. Um momento ímpar, jamais esquecido!

Thiago Silva
Thiago Silva celebra gol contra o Boca Juniors (Divulgação)

3. Você lembra de alguma história curiosa naquela campanha? Entre os jogadores ou com o próprio treinador?

Tínhamos um grupo bom, um treinador que sempre estava nos motivando a sua maneira. Era incomum, não acontecer alguma brincadeira no dia a dia. Tivemos bons momentos juntos!

'Tínhamos um grupo bom, um treinador que sempre estava nos motivando a sua maneira. Tivemos bons momentos juntos!'

4. O que o Thiago Silva de 33 anos aconselharia para o Thiago de 23 que estava próximo de disputar uma final de Libertadores?

Não sei se aconselharia, mas uniria todas as situações e experiências vividas nesses 10 anos, para que a chance de conquista fosse maior.

5. Projetando que o título da Libertadores fosse conquistado, no que você acredita que isso mudaria na sua carreira? E para a história do clube?

É muito difícil falar em hipóteses.

6. Uma foto sua, agachado no gramado do Maracanã com a fumaça dos sinalizadores ao fundo, é muito usado quando a torcida te cita como ídolo. Você acredita que aquele Libertadores fez você mudar de patamar na galeria de ídolos do Fluminense?

Acho isso algo muito particular de cada torcedor, porém, acho que aqueles jogos da Libertadores, foram momentos muito especiais que serviram para unir o torcedor a mim e eu, a eles.