Vinícius Faustini
07/08/2016
07:05
Rio de Janeiro (RJ)

O desejo do Vasco de fazer da sua caminhada na Série B uma redenção em grande estilo deixou a torcida com boas perspectivas. É possível alcançar uma ambição do técnico Jorginho: superar o Corinthians campeão de 2008. O Cruz-Maltino conseguiu os mesmos 39 pontos daquela campanha do Timão, no primeiro turno, com direito a superá-lo no número de vitórias (12 a 11). Manter o padrão estabelecido se tornou um desafio para a equipe de Jorginho.

Nenê, Andrezinho, Éderson e companhia precisarão do mesmo fôlego que os corintianos comprovaram em sua caminhada no segundo turno – foram 14 vitórias em 19 jogos, com apenas um revés. Ou seja, manter o aproveitamento atual não é suficiente para o Vasco.

O time de São Januário já ultrapassou o Corinthians de 2008 em um critério negativo. A equipe comandada por Jorginho perdeu quatro vezes no primeiro turno, enquanto o Timão saiu de campo amargando o revés apenas em três oportunidades em toda a campanha daquele ano (a última delas com reservas, quando estava com o título nas mãos).

Ideia do Vasco é não perder o foco no segundo turno.   

A ideia defendida por todo o elenco é não perder a concentração. Em compasso de espera pelo segundo turno, a equipe aposta em seu conjunto e na manutenção da base formada. Alguns atletas deverão ser emprestados para que o elenco seja enxugado – casos de Aislan e Leandrão –, mas não mudará o conceito que vem resultando na boa campanha até aqui. A mescla entre confiar nos atletas veteranos e dar oportunidades para jogadores revelados nas categorias de base segue na pauta do técnico Jorginho.

Depois de talismãs se firmarem, como Yago Pikachu, Diguinho e Jomar, jogadores como o velho conhecido Eder Luís e as revelações Henrique, Evander e Caio Monteiro devem voltar a receber oportunidades no restante da temporada.

Todos tentando fazer com que a Série B seja uma página virada com a lembrança de um recorde quebrado. Prestes a voltar suas atenções para o Sampaio Corrêa, o Vasco chega ao segundo turno ciente de que precisará de fôlego e futebol no restante da caminhada para retornar à elite.