icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
24/06/2014
09:00

Os trintões Yaya Touré (31) e Didier Drogba (36), principais estrelas da Costa do Marfim, têm, no Brasil, provavelmente a última chance de  brilhar numa Copa. Como consequência, podem levar os Elefantes pela primeira vez na história às oitvas de final, se vencerem ou até mesmo empatarem com a Grécia, às 17h desta terça, no Castelão, em Fortaleza (CE). Na África do Sul e na Alemanha, eles não passaram dos grupos.

Um triunfo simples garante a classificação dos Elefantes, segundos colocados, com três pontos. Em caso de igualdade, o Japão (um ponto) não pode vencer por mais de dois gols a Colômbia, com vaga na próxima fase já assegurada e líder da Chave C, com seis somados.

Eleito melhor jogador africano nos últimos três anos, Yaya Touré terá de superar um drama pessoal para ir bem no Castelão. Morreu na semana passada seu irmão mais novo, Ibrahim, que perdeu luta contra o câncer aos 28 anos e recentemente atuava como atacante no futebol libanês. Kolo Touré, o mais velho dos três (33 anos), deve ser titular na zaga na vaga de Zokora, suspenso por dois cartões amarelos.

- Claramente o que aconteceu foi uma tragédia entre nós, e aproveito para, em nome de toda delegação, passar todas as condolências para a família. Também acontecem inundações no país (na capital Abidjan), e não é a melhor maneira para se preparar para uma partida, obviamente - analisou o técnico francês Sabri Lamouchi.

Reserva nos dois primeiros jogos e sem estar 100% fisicamente, Drogba não tem escalação confirmada, mas desempenha funções influentes também nos bastidores da seleção.

- Como bom jogador e homem, ele nos apoia muito por sua experiência. É o nosso capitão. Mesmo quando não está jogando, tem uma importância muito grande. E quando entra no jogo, mesmo que por pouco tempo, é um capitão exemplar. Ele continua tendo uma importância enorme - garantiu o meia-atacante Gradel.