icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/07/2013
09:48

O principal assunto do futebol mundial nos últimos dias tem girado em torno do nome do novo treinador do Barcelona. Com a saída de Tito Vilanova, que se afastou do cargo por causa de problemas de saúde, o clube catalão pretende anunciar ainda nesta semana o substituto. Será que nenhum treinador brasileiro merece a oportunidade de comandar o Barça?

Na Espanha, os jornais esportivos especulam alguns nomes, entre eles, André Villas-Boas (Tottenham-ING), Marcelo Bielsa (ex-Athletic Bilbao), Luis Enrique (Celta de Vigo-ESP), Jupp Heynckes (ex-Bayern de Munique) e 'Tata' Martino (ex-Newell's Old Boys). Nomes brasileiros nem sequer foram cogitados.

E MAIS:
> Versões desencontradas colocam 'Tata' Martino perto do Barça
> Após deixar Barça, Tito Vilanova será operado na próxima terça, revela jornal
> Thiago Alcântara envia carta aberta ao Barça, onde cita Tito Vilanova

O insucesso dos principais técnicos do Brasil na Europa nos últimos anos, provavelmente, serve como sinal de alerta para os espanhóis. Felipão (Chelsea) e Luxemburgo (Real Madrid), por exemplo, fracassaram (leia mais abaixo). Mas não chegou a hora de algum brazuca mudar a escrita negativa?

Você, torcedor, acha que algum treinador do futebol brasileiro tem condições de assumir e realizar um bom trabalho no Barcelona? Clique aqui e dê a sua opinião na enquete realizada pelo L!Net.

HISTÓRICO DOS PRINCIPAIS TÉCNICOS BRASILEIROS NA EUROPA

Atual comandante da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari fracassou no comando do Chelsea (ING), na temporada 2008/09. Mesmo respaldado pelo ótimo trabalho à frente de Portugal (2003/2008), o pentacampeão mundial com o Brasil não conseguiu uma sequência de bons resultados e perdeu para os principais rivais ingleses (Manchester United e Liverpool, principalmente). Para piorar, ele não conseguiu administrar o relacionamento com os líderes do time, entre eles, Petr Cech, John Terry e Frank Lampard.

Vida fácil também não teve Vanderlei Luxemburgo no Real Madrid (ESP), em 2005. Apesar de ter nas mãos um elenco galáctico, com Casillas, Roberto Carlos, Zidane, Beckham, Raúl, Ronaldo e Robinho, o treinador, que recentemente deixou o Grêmio, não obteve sucesso. Sem títulos na temporada 2005/06, ele acabou demitido pelo presidente Florentino Pérez.

Outro que não conseguiu chamar a atenção na Espanha foi o tetracampeão mundial Carlos Alberto Parreira. Logo após a Copa do Mundo de 1994, o treinador assumiu o comando do Valencia (ESP). Porém, o atual coordenador da Seleção Brasileira nem chegou a terminar o campeonato espanhol no comando do time. Mas há males que vêm para o bem, não? Em seguida, ele foi para o Fenerbahce (TUR), e sagrou-se campeão na temporada 1995/96, tirando o time de uma fila de sete anos.

Além de Parreira, Zico também teve sucesso no Fenerbahce (TUR). O maior ídolo da história do Flamengo chegou ao clube turco em 2006, após boa passagem pela seleção do Japão. Na Turquia, conquistou o Campeonato Turco e a Supercopa da Turquia, em 2006/07. Para fechar o ótimo trabalho no time liderado pelo meia brasileiro Alex, o Galinho de Quintino levou a equipe às quartas da Liga dos Campeões 2007/08 (melhor campanha do time na história da competição). Além do Fenerbahce (TUR), ele ainda treinou - sem grandes resultados - o CSKA (RUS) e o Olympiakos (GRE).

Atual campeão brasileiro com o Fluminense, Abel Braga teve passagem pífia pelo Olympique de Marselha (FRA), em 2000. Já Paulo Autuori, hoje no São Paulo, também teve seus dias de glórias na Europa. Mas somente sob o comando de times sem grande expressão. Em Portugal, ele levou o Nacional da Ilha da Madeira para a primeira divisão no fim da década de 80. Nos anos seguintes, ainda treinou Vitória de Guimarães, Marítimo e Benfica, mas não conquistou títulos.

O principal assunto do futebol mundial nos últimos dias tem girado em torno do nome do novo treinador do Barcelona. Com a saída de Tito Vilanova, que se afastou do cargo por causa de problemas de saúde, o clube catalão pretende anunciar ainda nesta semana o substituto. Será que nenhum treinador brasileiro merece a oportunidade de comandar o Barça?

Na Espanha, os jornais esportivos especulam alguns nomes, entre eles, André Villas-Boas (Tottenham-ING), Marcelo Bielsa (ex-Athletic Bilbao), Luis Enrique (Celta de Vigo-ESP), Jupp Heynckes (ex-Bayern de Munique) e 'Tata' Martino (ex-Newell's Old Boys). Nomes brasileiros nem sequer foram cogitados.

E MAIS:
> Versões desencontradas colocam 'Tata' Martino perto do Barça
> Após deixar Barça, Tito Vilanova será operado na próxima terça, revela jornal
> Thiago Alcântara envia carta aberta ao Barça, onde cita Tito Vilanova

O insucesso dos principais técnicos do Brasil na Europa nos últimos anos, provavelmente, serve como sinal de alerta para os espanhóis. Felipão (Chelsea) e Luxemburgo (Real Madrid), por exemplo, fracassaram (leia mais abaixo). Mas não chegou a hora de algum brazuca mudar a escrita negativa?

Você, torcedor, acha que algum treinador do futebol brasileiro tem condições de assumir e realizar um bom trabalho no Barcelona? Clique aqui e dê a sua opinião na enquete realizada pelo L!Net.

HISTÓRICO DOS PRINCIPAIS TÉCNICOS BRASILEIROS NA EUROPA

Atual comandante da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari fracassou no comando do Chelsea (ING), na temporada 2008/09. Mesmo respaldado pelo ótimo trabalho à frente de Portugal (2003/2008), o pentacampeão mundial com o Brasil não conseguiu uma sequência de bons resultados e perdeu para os principais rivais ingleses (Manchester United e Liverpool, principalmente). Para piorar, ele não conseguiu administrar o relacionamento com os líderes do time, entre eles, Petr Cech, John Terry e Frank Lampard.

Vida fácil também não teve Vanderlei Luxemburgo no Real Madrid (ESP), em 2005. Apesar de ter nas mãos um elenco galáctico, com Casillas, Roberto Carlos, Zidane, Beckham, Raúl, Ronaldo e Robinho, o treinador, que recentemente deixou o Grêmio, não obteve sucesso. Sem títulos na temporada 2005/06, ele acabou demitido pelo presidente Florentino Pérez.

Outro que não conseguiu chamar a atenção na Espanha foi o tetracampeão mundial Carlos Alberto Parreira. Logo após a Copa do Mundo de 1994, o treinador assumiu o comando do Valencia (ESP). Porém, o atual coordenador da Seleção Brasileira nem chegou a terminar o campeonato espanhol no comando do time. Mas há males que vêm para o bem, não? Em seguida, ele foi para o Fenerbahce (TUR), e sagrou-se campeão na temporada 1995/96, tirando o time de uma fila de sete anos.

Além de Parreira, Zico também teve sucesso no Fenerbahce (TUR). O maior ídolo da história do Flamengo chegou ao clube turco em 2006, após boa passagem pela seleção do Japão. Na Turquia, conquistou o Campeonato Turco e a Supercopa da Turquia, em 2006/07. Para fechar o ótimo trabalho no time liderado pelo meia brasileiro Alex, o Galinho de Quintino levou a equipe às quartas da Liga dos Campeões 2007/08 (melhor campanha do time na história da competição). Além do Fenerbahce (TUR), ele ainda treinou - sem grandes resultados - o CSKA (RUS) e o Olympiakos (GRE).

Atual campeão brasileiro com o Fluminense, Abel Braga teve passagem pífia pelo Olympique de Marselha (FRA), em 2000. Já Paulo Autuori, hoje no São Paulo, também teve seus dias de glórias na Europa. Mas somente sob o comando de times sem grande expressão. Em Portugal, ele levou o Nacional da Ilha da Madeira para a primeira divisão no fim da década de 80. Nos anos seguintes, ainda treinou Vitória de Guimarães, Marítimo e Benfica, mas não conquistou títulos.