icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
11/02/2015
08:00

Líder em diversas estatísticas no clássico contra o Corinthians, no último domingo, Robinho recebeu elogios de Oswaldo de Oliveira na rotineira reunião do técnico com o elenco, nessa terça. Ficou faltando a vitória. Nesta quarta, às 20h30, contra o Rio Claro, no Allianz Parque, o campeão dos números no Palmeiras terá a ajuda de um talismã especial para que a equipe volte a vencer: o filho Cauã, de quatro anos de idade.

- Ele já entende bastante e está triste, está bravo com essas duas derrotas (para Ponte Preta e Corinthians). Ele foi para a casa da avó e falou que, quando não está aqui, o papai não tem sorte. Então minha mulher vai buscá-lo para ele estar aí e dar sorte. Ele gosta, quer entrar comigo nos jogos para dar força, já virou um palmeirense. Fico feliz por ele gostar de futebol - contou o meia de 27 anos, em entrevista ao LANCE!Net.

Cauã tem razão. Na primeira rodada, ele foi ao Allianz Parque e viu o pai marcar um dos gols da vitória alviverde sobre o Osasco Audax, por 3 a 1. Nos dois jogos seguintes, o garoto não foi. E o Palmeiras perdeu...

- Recebo mais cobrança em casa do que no clube (risos). Ele já conhece, sabe o que é impedimento, sabe o que é escanteio. E pede gol em homenagem a ele ainda por cima - sorri Robinho, que chegou ao Verdão com a bênção do amigo Alex, ídolo da torcida e companheiro inseparável nos tempos de Coritiba.

Robinho e Alex tornaram-se amigos no Coritiba e se falam constantemente (FOTO: Divulgação/Coritiba)

- Tenho admiração por diversos jogadores. Gosto muito do Pirlo, que joga em uma função que gosto de fazer, do Alex também. O Lincoln, que jogou aqui, é um cara que dá grandes passes. Procuro observar a maneira que eles jogam para fazer o mesmo. Com o Alex, criei uma boa amizade no Coritiba, o grupo lá era muito bom. Muitas coisas entre nós bateram, nossas famílias ficaram amigas e nos falamos sempre - contou.

- Ele manda mensagem, mas não falamos só de futebol. O Alex é um cara inteligente e sabe que às vezes falar só disso acaba sendo chato. Eu também sou assim, quando chego em casa prefiro deixar o futebol de lado e dar atenção ao meu filho, pensar em outras coisas.

No Dérbi de domingo, ninguém acertou mais passes (59), fez mais desarmes (6) ou ficou mais tempo com a bola do que Robinho. Neste Paulistão, o meia tem um gol, uma assistência, e é o líder de desarmes (9) e chutes certos (3). Vai melhorar os números?

- Sendo bem sincero, não olho isso, não. Quando acaba o jogo, vou para casa e procuro não ver muito esporte, não entro na internet. Procuro fazer meu trabalho em campo, roubar bola, dar passe, lançamento. Fiquei feliz porque o Oswaldo me falou que fui o destaque nas estatísticas domingo. Vou procurar dar uma olhada a mais (risos) - acrescentou Robinho, antes de avisar:

- O Palmeiras, se contratar 19 jogadores ou um jogador só, tem que brigar por título. Não tem que pensar em laboratório, mas em ser campeão. Independentemente se contratou um monte ou não, tem que pensar assim.