icons.title signature.placeholder Michel Castellar
18/06/2014
16:34

Os manifestantes de Brasília desafiaram para uma partida de futebol os policiais responsáveis pela segurança da partida de amanhã entre Colômbia e Costa do Marfin, no Estádio Nacional – Mané Garrincha. Os protestantes distribuíram panfletos pelas ruas da capital com a convocação para o confronto, que está marcado para às 13h, mesmo horário do jogo da Copa do Mundo.

Na segunda-feira, o L!Net revelou que, após os conflitos ocorridos durante a Copa das Confederações na capital federal, o integrantes do Comitê Popular da Copa procuraram os adeptos do movimento Black Block para celebrar um acordo de paz. Ambos os grupos acertaram um pacto de não violência e nos dois primeiros jogos realizados em Brasília não houve confronto com a polícia.

A intenção da manifestação marcada para amanhã é a de novamente realizar um ato pacífico. Na primeira partida realizada no Mané Garrincha, na derrota do Equador para a Suíça, os protestantes já disputaram um jogo de futebol, mas entre eles.

- Os movimentos que hoje resistem à repressão, criminalização e perseguição desafiam a Polícia Militar do DF a se desmilitarizar e vir jogar conosco uma partida de futebol – escreveran em trecho do panfleto os manifestantes.

Para Brasília, o Comitê Popular da Copa programou um total de nove manifestações durante o evento. Sete em dias de jogos no Mané Garrincha e, os outros dois, na abertura e final do Mundial.

No confronto de amanhã, o tema será: “Futebol pela desmilitarização e pelo fim do extermínio à juventude negra”. Como o estádio estará ocupado, os protestantes inovaram e marcaram o protesto para “o Eixo Monumental, próximo ao elefante branco Mané Garrincha”.

- O apoio da população às nossas reivindicações cresceu mas ela se afastou por causa da violência, da repressão. Por isso, agora, vamos para as ruas com alegria, sem violência. Nunca quisemos a violência, que parte do Estado. E temos mostrado isso, fizemos duas manifestações pacíficas – afirmou um dos líderes do Comitê Popular da Copa-DF, Thiago Ávila.