icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
01/07/2014
17:29

O presidente do Figueirense, Wilfredo Brillinger, veio a público esclarecer toda a novela do volante França no clube. Após ter se envolvido em um acidente de carro na madrugada da última quinta-feira, o jogador foi dispensado pelo clube na manhã da sexta-feira. Contudo, o atleta foi reintegrado ao grupo logo neste início de semana, depois de ter procurado, junto de seu empresário, o presidente do Figuera, Wilfredo Brillinger, pedindo desculpas.

- Quanto ao França, a gente já tinha tomado uma decisão. Durante a semana, em função dos incidentes que aconteceram, decidimos que ele não faria mais parte do nosso grupo. Mas, agora, no final de semana, ele e o agente dele me procuraram, tivemos uma conversa, fizemos uma reunião, e eles me pediram mais uma chance. Ele se disse arrependido e perguntei se ele queria mudar, se queria realmente se portar como um atleta profissional. E aí, a gente sente, o França se mostrou bastante arrependido e assumiu um compromisso comigo de se comportar como um atleta profissional fora de campo. A partir daí, a gente acertou a continuidade dele, até porque quem sou eu para praticamente encerrar uma carreira, do jeito que estava a coisa ele iria encerrar a carreira dele, a de um atleta - revelou o presidente do clube.

Apesar da nova chance ter sido dada, o mandatário alvinegro garantiu que o jogador não terá vida fácil no clube. Conforme Brillinger, França será punido financeiramente e cobrado pelo compromisso acertado.

- Voltei atrás na minha decisão, mas, evidentemente, que ele vai receber uma punição financeira. E a partir daí, é vida que segue. Espero que ele cumpra tudo o que combinou comigo, porque eu falei para ele que era muito mais fácil para mim deixar como estava. Eu estou mudando minha posição e eu mudo, não tem problema, mas preciso do compromisso dele, vamos ter olho no olho aqui e assumir um compromisso - apontou Wilfredo Brillinger.

E MAIS:
> Everton Santos, do Figueirense, está de saída para a Coreia
> CBF altera datas de dois jogos do Figueirense na temporada
> Em recuperação, meia do Figueirense pede atenção à 'maratona de jogos'

O presidente do clube ainda assumiu que buscou a opinião do treinador Guto Ferreira e do superintendente de esportes Rodrigo Pastana a respeito da permanência de França. Contudo, o dirigente garantiu que foi ele quem teve a última palavra no caso:

- A decisão final foi minha. Mas eu conversei tanto com o Guto (Ferreira), quanto com o Rodrigo Pastana no final de semana. Eles também se mostraram favoráveis, desde que ele (o França) assumisse um compromisso firme em mudar sua postura fora de campo. O futebol dele todo mundo quer aqui no Figueirenese, a questão dele não é dentro de campo, é fora.

Após as explicações dadas por Wilfredo Brillinger, foi a vez do jogador falar. Retraído e falando em tom baixo, França assumiu os erros, revelou que pediu a ajuda ao empresário e se desculpou com o Figueirense.

- Eu torno a repetir diante de vocês, assumo as coisas que eu fiz. Foi um acidente, sai, acho que passei do limite e acabei comprometendo um trabalho nosso, do Figueirense. Peço desculpas ao presidente, ao Rodrigo Pastana, a toda comissão técnica e os meus companheiros por ter cometido esses erros. Esse final de semana fui para Curitiba conversar com meu empresário, falei que iria mudar, que precisava de ajuda. Enfim, agora, conversei com o presidente e, é bom deixar bem claro isso, eu pedi uma chance para ele. E ele como ser humano, a pessoa que ele é, me estendeu a mão e meu deu uma chance - destacou o volante.

França chegou ao Figueirense após ter sido repassado pelo Palmeiras. O jogador pertence ao Hannover (ALE), mas havia sido emprestado ao Verdão. No clube paulista, o volante acumulou problemas extracampo e também acabou sendo afastado. Caso ficasse a disposição de Ricardo Gareca, técnico alviverde, não deveria ser utilizado e haveria a possibilidade de ser devolvido ao clube alemão.