icons.title signature.placeholder Marcio Porto
24/04/2014
12:03

Muricy Ramalho vive uma situação privilegiada no São Paulo. O treinador ouviu de seu presidente, Carlos Miguel Aidar, que só deixará o clube se quiser. E, após a derrota para o CRB-AL, por 2 a 1, pela Copa do Brasil, o comandante vibrou com a postura do dirigente.

- Muito bom, excelente. Futebol é assim mesmo, sequência de trabalho. Que beleza que ele (Aidar) pensa assim - declarou Muricy, ao ser perguntado sobre a posição do presidente.

A satisfação de ser mantido no cargo não é novidade para Muricy no São Paulo. Durante mais de três anos, ele foi bancado pelo ex-presidente Juvenal Juvêncio. Isso aconteceu mesmo após sucessivas eliminações na Libertadores, em 2006, 2007 e 2008.

Só em 2009 que Juvenal resolveu ceder à pressão de alguns de seus pares e demitiu o técnico tricampeão brasileiro, entre 2006 e 2008. Após a eliminação na Libertadores para o Cruzeiro, chegou ao fim a segunda passagem de Muricy pelo clube.

Muricy tem contrato até o fim de 2015 com o São Paulo, mas, se depender das palavras de Aidar, tem emprego garantido pelo menos até 2017, quando se encerra o mandato do atual presidente. Aidar ainda terá direito a tentar reeleição.