icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
19/07/2013
07:09

O Corinthians deixou escapar um grande zagueiro e perdeu a chance de fazer mais dinheiro ou acertou ao negociá-lo para a Roma (ITA) com 18 anos?

A pergunta está na boca do corintiano, que observa a concretização do negócio entre os italianos e o Paris Saint-Germain (FRA), que já acertaram a venda por um total de 35 milhões de euros (R$ 101 milhões) - sendo 3 milhões de euros em bônus.

Diante dessas cifras, o Timão deverá receber um total de R$ 20 milhões pelo jogador, se somado o que levou em 2012 e a fatia que será depositada pela nova transferência. Revelado pelo Timão, onde ficou por dez anos, o garoto que passou pela Seleção sub-17 e foi campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior chegou ao profissional em 2012. Rapidamente, caiu nas graças da torcida, mas a solidez de Chicão, Paulo André & Cia. entre os titulares o fez sonhar com a Europa.

No empréstimo para a Roma no segundo semestre de 2012, o Alvinegro recebeu 1,5 milhão de euros para cedê-lo por um ano e fixou o valor de compra em 3 milhões de euros. No fim do ano, o clube exerceu o seu direito, pagando um total de 5 milhões de euros (R$ 13 milhões).

Ainda dono de 5% dos direitos econômicos do atleta, porém, o clube calcula receber agora pouco mais de R$ 7 milhões, somado aí os 2,5% a que tem direito por ter sido o clube formador entre os 12 e os 18 anos (mecanismo de solidariedade da Fifa). O pagamento dessa segunda parte deverá ser feito pelo clube contratante, no caso o PSG, em até 30 dias após o pagamento do valor da transferência. Na prática, porém, raramente isso ocorre e os clubes formadores entram na Justiça.

O valor, apesar de ser alto, é mais de quatro vezes menor do que a Roma (ITA) conseguiu com ele, que ficará por cinco anos na França.

– Era a vontade dele sair. Não me arrependo do negócio – diz o Roberto de Andrade, diretor de futebol.

ENTENDA A SITUAÇÃO
Mecanismo de solidariedade
Pela regulamentação da entidade máxima do futebol, o período considerado de formação vai dos 12 aos 23 anos, rendendo até 5% do valor bruto da transferência para os clubes que participaram do amadurecimento do jogador. Esse percentual é definido pelo tempo em que atleta ficou no clube, respeitando a seguinte divisão: de 12 a 15 anos, 0,25% a cada ano. De 16 a 23 anos, 0,5% a cada ano. No caso de Marquinhos, que jogou no clube dos sete aos 18, o clube acumula 2,5%. O pagamento é feito pelo clube que estiver contratando o novo jogador.

DIVISÃO DO PERCENTUAL DA INDENIZAÇÃO:

12 anos – 0,25%
13 anos – 0,25%
14 anos – 0,25%
15 anos – 0,25%
16 anos – 0,5%
17 anos – 0,5%
18 anos – 0,5%
19 anos – 0,5%
20 anos – 0,5%
21 anos – 0,5%
22 anos – 0,5%
23 anos – 0,5%

O Corinthians deixou escapar um grande zagueiro e perdeu a chance de fazer mais dinheiro ou acertou ao negociá-lo para a Roma (ITA) com 18 anos?

A pergunta está na boca do corintiano, que observa a concretização do negócio entre os italianos e o Paris Saint-Germain (FRA), que já acertaram a venda por um total de 35 milhões de euros (R$ 101 milhões) - sendo 3 milhões de euros em bônus.

Diante dessas cifras, o Timão deverá receber um total de R$ 20 milhões pelo jogador, se somado o que levou em 2012 e a fatia que será depositada pela nova transferência. Revelado pelo Timão, onde ficou por dez anos, o garoto que passou pela Seleção sub-17 e foi campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior chegou ao profissional em 2012. Rapidamente, caiu nas graças da torcida, mas a solidez de Chicão, Paulo André & Cia. entre os titulares o fez sonhar com a Europa.

No empréstimo para a Roma no segundo semestre de 2012, o Alvinegro recebeu 1,5 milhão de euros para cedê-lo por um ano e fixou o valor de compra em 3 milhões de euros. No fim do ano, o clube exerceu o seu direito, pagando um total de 5 milhões de euros (R$ 13 milhões).

Ainda dono de 5% dos direitos econômicos do atleta, porém, o clube calcula receber agora pouco mais de R$ 7 milhões, somado aí os 2,5% a que tem direito por ter sido o clube formador entre os 12 e os 18 anos (mecanismo de solidariedade da Fifa). O pagamento dessa segunda parte deverá ser feito pelo clube contratante, no caso o PSG, em até 30 dias após o pagamento do valor da transferência. Na prática, porém, raramente isso ocorre e os clubes formadores entram na Justiça.

O valor, apesar de ser alto, é mais de quatro vezes menor do que a Roma (ITA) conseguiu com ele, que ficará por cinco anos na França.

– Era a vontade dele sair. Não me arrependo do negócio – diz o Roberto de Andrade, diretor de futebol.

ENTENDA A SITUAÇÃO
Mecanismo de solidariedade
Pela regulamentação da entidade máxima do futebol, o período considerado de formação vai dos 12 aos 23 anos, rendendo até 5% do valor bruto da transferência para os clubes que participaram do amadurecimento do jogador. Esse percentual é definido pelo tempo em que atleta ficou no clube, respeitando a seguinte divisão: de 12 a 15 anos, 0,25% a cada ano. De 16 a 23 anos, 0,5% a cada ano. No caso de Marquinhos, que jogou no clube dos sete aos 18, o clube acumula 2,5%. O pagamento é feito pelo clube que estiver contratando o novo jogador.

DIVISÃO DO PERCENTUAL DA INDENIZAÇÃO:

12 anos – 0,25%
13 anos – 0,25%
14 anos – 0,25%
15 anos – 0,25%
16 anos – 0,5%
17 anos – 0,5%
18 anos – 0,5%
19 anos – 0,5%
20 anos – 0,5%
21 anos – 0,5%
22 anos – 0,5%
23 anos – 0,5%