icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
01/02/2015
16:04

A diretoria do Flamengo divulgou nota em seu site oficial, na tarde deste domingo, em que expõe a posição do clube em relação a invasão do vestiário do Macaé por parte de torcedores rubro-negros, na noite de sábado, antes da partida entre as duas equipes, na estreia de ambas no Campeonato Carioca de 2015. No incidente, o goleiro goleiro Ricardo Berna, do Macaé, foi ferido no queixo, tendo de jogar com um curativo no local.

No documento, o Flamengo repudia, combate e desencoraja qualquer tipo de violência física ou verbal e exige a total apuração dos fatos. Em um momento em que vive grave crise com a FERJ (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) devido ao parcelamento dos preços dos ingressos para o Estadual, os rubro-negros afirmam estranharem o fato de ter sua torcida envolvida em um caso desses justamente quando se posiciona contra a postura "ditatorial" da entidade que gere o futebol no estado.

O Flamengo afirma ainda que, ao colocar apenas uma pessoa para fazer a segurança do vestiário do Macaé, a FERJ "prova, no mínimo, desleixo de quem tinha como obrigação garantir a segurança necessária para o espetáculo".

CONFIRA A NOTA EMITIDA PELO FLAMENGO

"O Clube de Regatas do Flamengo repudia, combate e desencoraja qualquer tipo de violência física ou verbal e exige a total apuração dos fatos lamentáveis ocorridos no estádio Moacyrzão, neste sábado (31.01).

O que nos causa maior estranheza neste evento é o fato de que, depois de um Campeonato Brasileiro sem nenhum incidente envolvendo a torcida do Flamengo, ele tenha ocorrido logo no primeiro jogo do Campeonato Carioca, justamente quando nos posicionamos contra a postura ditatorial da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro e de termos nosso presidente ofendido publicamente pelo principal dirigente da entidade.

Estranhamos também o fato de a organização do jogo, segundo testemunho de representante da FERJ, ter designado apenas um profissional para cuidar da segurança de um portão de entrada aos vestiários, em partida com lotação máxima. Isto prova, no mínimo, desleixo de quem tinha como obrigação garantir a segurança necessária para o espetáculo.

O resultado desta falha na segurança desencadeou a divulgada confusão causada por pessoas que não representam a torcida rubro-negra e para a qual o Flamengo absolutamente não contribuiu. Reiteramos que o Flamengo não mantém qualquer relação comercial, de patrocínio ou apadrinhamento, com nenhuma torcida organizada e se coloca à inteira disposição das autoridades para colaborar para o total esclarecimento do incidente e identificação de seus responsáveis".