icons.title signature.placeholder Caio Carrieri, Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
18/06/2014
07:07

O empate com o México, em Fortaleza, novamente colocou em discussão o fato de a Seleção Brasileira ter dificuldades de enfrentar times que jogam na defesa. Apesar de não ter superado o ferrolho do técnico Miguel Herrera, Luiz Felipe Scolari não acena com mudanças na maneira de o Brasil jogar.

Questionado após o jogo sobre a necessidade de se ter variações no esquema e a dependência por Neymar, o técnico disparou:

- Neymar não ganha sozinho e também não perde sozinho. Ele faz parte de um grupo e dentro do potencial que tem supera em certos momentos algumas situações. Todos sabem disso, mas ele faz parte do grupo. Vamos fazer o trabalho que estamos desenvolvendo, com Neymar sendo mais marcado ou não. Para assim termos oportunidade para ganhar.

Satisfeito com o desempenho do time na Arena Castelão, apesar do empate, o técnico apontou evoluções, entre elas a cobertura dos laterais.

- O México joga com três zagueiros e dois alas. Quando joga assim, tem de deixar a lateral aberta para marcar o meio. Sabemos que no futebol de resultado, um ponto, às vezes, classifica. Então, tem de observar certos detalhes de que quando não se ganha, também pode não perder. Existiu a melhora das nossas laterais - avaliou.