icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/11/2013
21:43

A passagem do Brasil pela América do Norte, a começar pelo jogo de neste sábado, às 22h30 (de Brasília), contra Honduras, está longe de ser um mero amistoso para o goleiro Victor, o atacante Robinho e o meia Willian. Está mais com cara de processo seletivo para um emprego bem cobiçado: o de membro da Seleção na Copa.

O próprio Felipão já avisou e espera que os candidatos tomem o duelo no SunLife Stadium, em Miami, como uma chance única.

– Este é um jogo amistoso. Não vale uma classificação, mas vale a possibilidade quase que final de observação dos meus atletas. Vale muito para os atletas – disse o treinador, ontem, em coletiva.

Em meio a elogios à preparação da Seleção, Felipão deu uma dimensão do quão difícil será a tarefa do trio nos jogos que faltam para o Mundial.

– Temos um estilo de jogo, forma de jogar e a definição de 18, 19, 20 nomes – completou.

Dos três, apenas Victor tem a titularidade garantida hoje, dada ainda no anúncio da lista de convocados. Robinho é quase certeza no banco, mas, ao mesmo tempo, é garantia entre os que entrarão no segundo tempo. A dúvida é se será como falso 9, no lugar de Jô, ou aberto, como alternativa a Neymar ou Bernard. Por falar no jogador do Shakhtar, a presença dele no grupo titular é a que deve tirar o espaço de Willian contra os hondurenhos.

O tempo de Victor, Robinho e Willian será curto. Além do jogo deste sábado, terça-feira o Brasil enfrenta o Chile, em Toronto, e haverá ainda mais um amistoso em março. Mas como a lista não está fechada – até porque teve gente preferindo a Espanha – está no colo deles a oportunidade de defender o Brasil na Copa do Mundo.

LONDRES-2012 NA CABEÇA DOS HONDURENHOS

A eliminação diante de Neymar, Oscar & Cia. da Olimpíada de Londres, em 2012, ainda está na cabeça dos hondurenhos que estiveram nos Jogos e hoje enfrentarão o Brasil novamente.

A partida será singular, especialmente para o meia Roger Espinoza. O jogador foi expulso quando o placar estava 2 a 1 para Honduras e ele tinha marcado o segundo gol. Sem Espinoza em campo, o Brasil virou o duelo pelas quartas de final para 3 a 2.

– São jogos diferentes. Agora o nível é outro. Os brasileiros já estão em grandes times, como Oscar no Chelsea. Temos que lidar com eles de uma maneira diferente – comentou o meia.

Outro meio-campista hondurenho, Jorge Claros, não economizou elogios ao Brasil:

– Jogaremos contra a melhor seleção de todos os tempos.

BRASIL X HONDURAS
Local: SunLife Stadium, em Miami (EUA)
Data/Hora: 16/11/2013, às 22h30 (de Brasília)

BRASIL: Victor, Maicon, David Luiz, Dante e Maxwell; Luiz Gustavo, Paulinho e Oscar; Bernard (Willian), Neymar e Jô. Técnico: Luiz Felipe Scolari

HONDURAS: Noel Valladares, Arnold Peralta, Víctor Bernárdez, Maynor Figueroa e Emilio Izaguirre; Jorge Claros, Wilson Palacios, Boniek García e Roger Espinoza; Jerry Bengtson e Carlo Costly. Técnico: Luis Suárez