icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
23/07/2013
15:47

Quem pode bater Alan Fonteles? Essa é a pergunta que ficou após a vitória dele nos 100m, na categoria T43, no Mundial de Atletismo Paralímpico, nesta terça-feira, em Lyon (FRA). Assim como na conquista dos 200m, no último domingo, ele praticamente correu contra o relógio e não deu chances aos adversários.

O brasileiro terminou a disputa em 10s80, muito perto do recorde mundial, dele mesmo, de 10s77. O americano Blake Leeper bem que tentou, mas ficou só na segunda colocação, com 11s34. Já o também americano Joshua Kennison foi o terceiro, com 11s93.

Se entrou nesse Mundial sem nenhuma conquista na competição, até agora já foram dois ouros. E ele ainda vai disputar os 400m, na mesma classe, prova na qual não é especialista.

- Também estava torcendo para bater o recorde. Queria bater, mas infelizmente não veio. Corri para ser campeão mundial. Agora, sou recordista e campeão - afirmou o velocista.

- Não faltou adversários. Todos tentaram. O esporte paralímpico tem grandes atletas. Demos nosso melhor - continuou.

Como o atleta a ser batido, Fonteles até tem sido copiado pelos adversários. Momentos antes da largada, ele percebeu que Leeper tentou fazer a saída em três apoios, assim como o brasileiro. Mas desistiu no último momento.

- O americano copiou, mas caiu. Voltou a tentar largar da forma antiga - disse o agora duas vezes campeão mundial.

BRONZE NO SALTO EM DISTÂNCIA

A brasileira Sheila Finder ficou com a medalha de bronze no salto em distância na categoria T46, nesta terça-feira. Ela terminou a prova com 5m14. O título foi da russa Nikol Rodomakina (5m92) e a prata ficou com a Carlee Beattie (5m75).

*O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro

Quem pode bater Alan Fonteles? Essa é a pergunta que ficou após a vitória dele nos 100m, na categoria T43, no Mundial de Atletismo Paralímpico, nesta terça-feira, em Lyon (FRA). Assim como na conquista dos 200m, no último domingo, ele praticamente correu contra o relógio e não deu chances aos adversários.

O brasileiro terminou a disputa em 10s80, muito perto do recorde mundial, dele mesmo, de 10s77. O americano Blake Leeper bem que tentou, mas ficou só na segunda colocação, com 11s34. Já o também americano Joshua Kennison foi o terceiro, com 11s93.

Se entrou nesse Mundial sem nenhuma conquista na competição, até agora já foram dois ouros. E ele ainda vai disputar os 400m, na mesma classe, prova na qual não é especialista.

- Também estava torcendo para bater o recorde. Queria bater, mas infelizmente não veio. Corri para ser campeão mundial. Agora, sou recordista e campeão - afirmou o velocista.

- Não faltou adversários. Todos tentaram. O esporte paralímpico tem grandes atletas. Demos nosso melhor - continuou.

Como o atleta a ser batido, Fonteles até tem sido copiado pelos adversários. Momentos antes da largada, ele percebeu que Leeper tentou fazer a saída em três apoios, assim como o brasileiro. Mas desistiu no último momento.

- O americano copiou, mas caiu. Voltou a tentar largar da forma antiga - disse o agora duas vezes campeão mundial.

BRONZE NO SALTO EM DISTÂNCIA

A brasileira Sheila Finder ficou com a medalha de bronze no salto em distância na categoria T46, nesta terça-feira. Ela terminou a prova com 5m14. O título foi da russa Nikol Rodomakina (5m92) e a prata ficou com a Carlee Beattie (5m75).

*O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro