Thiago Ferri
25/08/2016
09:38
São Paulo (SP)

Palmeiras e Fábio Caran ainda disputam na Justiça a divisão dos direitos econômicos de Gabriel Jesus, mas o clube teve uma importante vitória nesta semana. Após o Verdão abrir um processo para assumir os 22,5% que o ex-agente tem do atacante, os advogados de Caran responderam com uma liminar. Eles queriam que a quantia equivalente a esta fatia da venda para o Manchester City (ING) fosse depositada em juízo pelo Palmeiras até o caso se definir, porém a juíza negou o pedido em primeira instância.

Para o estafe de Caran, o Palmeiras deveria, inclusive, já reservar em juízo R$ 7,9 milhões, equivalente a 22,5% dos R$ 35 milhões que o City já pagou, conforme revelou o LANCE! na semana passada. A justificativa no processo é de que esta medida visaria impedir que o clube "desaparecesse" com o valor, atrapalhando de forma irreparável Caran. O Alviverde, por sua vez, provou ter condições financeiras de desembolsar esta quantia no futuro e, por conta disso, a juíza do caso não vê necessidade desta reserva. Ou seja, da primeira parcela depositada, todo o valor continua nos cofres do Verdão.

Esta vitória, divulgada pelo Uol e confirmada pelo L!, é mais um passo do processo e não define quem ficará com o percentual de Gabriel Jesus. Dá força, porém, à causa aberta pelo Palmeiras e mostra que o clube provavelmente ficará com o valor da venda que pleiteia de Fábio Caran até o fim do processo, o que pode levar anos, caso as partes não cheguem a um acordo.

A ação judicial foi iniciada pelo Palmeiras, sob a alegação de que Fábio descumpriu termos do contrato assinado em 2014. Os 22,5% de Caran estão registrados em nome da empresa de sua esposa, Naima Ferreira. No entendimento do clube, Naima vendeu o percentual a Reinaldo Mahmud e Natalia Yonekura, com quem passou a formar sociedade no fim do ano passado. Apesar desta alteração, o ex-agente nega a venda dos direitos.

O contrato de Gabriel Jesus é claro: os agentes "não poderão ceder a sua participação [...] a terceiros sem a expressa anuência do Palmeiras". Caso isso ocorra, o percentual volta a ser do clube, que ainda recebe R$ 1 milhão de multa. É nisto que o Verdão se apega. Por considerar que Fábio Caran burlou o acordo, o clube já diz na ação judicial ser desobrigado a repassar para ele os 22,5% da venda.

Com isso, o Palmeiras, dono de 30% dos direitos de Jesus, atualmente tem a fatia do ex-empresário e ainda ganhará outra parte da venda, pois o atacante e Cristiano Simões, seu atual agente, abriram mão de parte da negociação. Em agosto, o Verdão recebeu quase 10 milhões de euros (pouco mais de R$ 35 milhões) e até o fim do ano ganhará o restante, em torno de 22 milhões de euros (R$ 80 milhões) - desta segunda parcela, o Verdão terá direito a metade, totalizando R$ 75 milhões. Quando Gabriel Jesus se apresentar no novo clube, em janeiro, o Palmeiras terá sido pago integralmente.