icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/08/2015
23:55

Na vitória do Fluminense sobre o Paysandu por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, no Mangueirão, em Belém, que garantiu o Tricolor nas quartas de final da Copa do Brasil, Edson sofreu uma cotovelada no rosto em disputa de bola com o atacante Betinho, do time paraense, e saiu do estádio de ambulância. No hospital, o volante foi submetido a uma ressonância magnética na face e na cervical, onde foi detectato "apenas" uma fratura no nariz.

Edson já deixou o hospital na capital paraense e está no hotel em que a delegação tricolor está hospedada. O volante será reavaliado nas próximas 24h para saber se existe a necessidade de intervenção cirúrgica. O jogador tricolor é dúvida para a partida de domingo, contra o Atlético-MG, às 16h, no Maracanã, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Nilton Petrone, o Filé, que é fisioterapeuta do Fluminense, explicou que o volante ficou desacordado por alguns segundos e por isso foi necessário levá-lo as hospital.


Na vitória do Fluminense sobre o Paysandu por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, no Mangueirão, em Belém, que garantiu o Tricolor nas quartas de final da Copa do Brasil, Edson sofreu uma cotovelada no rosto em disputa de bola com o atacante Betinho, do time paraense, e saiu do estádio de ambulância. No hospital, o volante foi submetido a uma ressonância magnética na face e na cervical, onde foi detectato "apenas" uma fratura no nariz.

Edson já deixou o hospital na capital paraense e está no hotel em que a delegação tricolor está hospedada. O volante será reavaliado nas próximas 24h para saber se existe a necessidade de intervenção cirúrgica. O jogador tricolor é dúvida para a partida de domingo, contra o Atlético-MG, às 16h, no Maracanã, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Nilton Petrone, o Filé, que é fisioterapeuta do Fluminense, explicou que o volante ficou desacordado por alguns segundos e por isso foi necessário levá-lo as hospital.