Torcida do Flamengo no Maracanã - Flamengo x Botafogo (Foto: Cléber Mendes/LANCE!Press)

Flamengo é cantado em todos os estilos musicais  (Foto: Cléber Mendes/LANCE!Press)

RADAR / LANCE!
14/11/2015
07:15
Rio de Janeiro (RJ)

A paixão pelo Flamengo vai muito além dos gritos das arquibancadas. O clube, que celebra 120 anos de sua fundação neste domingo, já rendeu canções dos mais variados estilos na música brasileira.

Do samba-enredo ao funk, entre o soul e o frevo, o LANCE! passeia pelas muitas décadas de homenagens musicais ao Flamengo.

1 - UMA VEZ FLAMENGO, SEMPRE FLAMENGO (1995)


Tema da escola de samba Estácio de Sá em 1995, a história do Flamengo desfilou pela Marquês de Sapucaí no ano em que o clube comemorou seus 100 anos. Com enredo intitulado "Uma Vez Flamengo, Sempre Flamengo", o samba de David Correa, Adílson Torres, Déo e Caruso ecoa há 20 anos na voz da Nação, que recorda desde os uniformes da cobra coral e do papagaio vintém até o "Mundial que o Zico foi buscar". À época no Grupo Especial, a escola ficou com o modesto sétimo lugar.

2 - PAÍS TROPICAL (1969)


Jorge Ben Jor precisou de uma estrofe para escancarar sua paixão pelo Flamengo em 1969. Em meio a versos que exaltavam o fato de o Brasil ser abençoado por Deus, bonito por natureza e ter carnaval em fevereiro, "País Tropical" trazia o cantor dizendo cheio de orgulho: "Sou Flamengo e tenho uma nêga chamada Tereza".

3 - AQUELE ABRAÇO (1969)


Canção na qual Gilberto Gil trazia uma mensagem velada sobre seu exílio, no qual deixou o Rio de Janeiro e partiu para o exterior durante o regime militar, "Aquele Abraço" mencionou a torcida do Flamengo. Segundo algumas interpretações, Gil (que é tricolor) teria direcionado a expressão "aquele abraço" aos rubro-negros para tripudiar sobre o título carioca do Fluminense de 1969. Porém, a decisão aconteceu depois da gravação do cantor.

4 - VERMELHO E PRETO (2000)

O funk também rendeu reverências ao Rubro-Negro . Com "Vermelho e Preto", Claudinho & Buchecha contaram  como ficaram "só love" com a paixão pelo Flamengo. A força da torcida e o peso da camisa rubro-negra também são exaltados.

5 - SAMBA RUBRO-NEGRO (1955)

Um dos mais representativos sambistas da boemia da Lapa, Wilson Batista nunca escondeu sua paixão pelo Flamengo. Flamenguista que transpunha para o samba a alegria, a tristeza e o lado provocador dos torcedores, o compositor fez, ao lado de Jorge de Castro, o "Samba Rubro-Negro". A canção faz homenagem a um trio irresistível da equipe na época.

6 - SAMBA RUBRO-NEGRO (1979)

Cerca de duas décadas depois, o "Samba Rubro-Negro" ganhou uma nova versão na voz de João Nogueira, outro dos muitos ícones que vieram no samba nesta década. Porém, em vez de apostar no trio Rubens, Dequinha e Pavão, o cantor aproveitou a conquista do "tri em dois anos" para celebrar outros três craques da maior qualidade.

7 - OLÉ DO FLAMENGO (1964)

A paixão pelo Flamengo se estendeu também a um dos mestres do forró. Nos versos de "Olé do Flamengo", feitos em parceria com Braz Marques, Jackson do Pandeiro se revelava um torcedor capaz de acompanhar o time partida a partida. Seja contra Bonsucesso, Olaria, Vasco, Bangu ou "até o Santos de Pelé".

8 - MENGO (1982)

Bem antes de atear fogo e paixão nas fãs e se tornar o "rei das calcinhas", Wando passeou por uma das muitas vertentes criadas pelo samba para homenagear o Flamengo. Com "Mengo", o cantor se arriscou a criar um verbo do clube: "Eu Mengo, tu Mengas, ele Menga e quem não Mengou?".

9 - FLAMENGO MARAVILHOSO (1982) 

Compositor de sucessos como "Nossa Canção", "Ciúme de Você" e "Porta Aberta", Luiz Ayrão também prestou uma homenagem ao seu clube de coração. Em sua gravação de "Flamengo Maravilhoso", Ayrão celebrou a Nação e até cantarolou uma licença poética de "Cidade Maravilhosa" em reverência ao clube.

10 - BOA NOITE (1992)

O Flamengo faz parte dos versos de uma música do Djavan. Durante a canção romântica "Boa Noite", o autor solta um irreverente "djavanear": "Ainda bem que eu sou Flamengo". E o autor de "Meu Bem Querer" e "Oceano" ainda completa: "Mesmo quando ele não vai bem, algo me diz em rubro-negro que o sofrimento leva além".

11 - VITORIOSO FLAMENGO (1981)

Graças a outro rubro-negro de coração, o clube da Gávea seria apresentado ao ritmo de frevo. Com "Vitorioso Flamengo", Moraes Moreira mostrou-se confiante com a geração de Zico, Andrade, Adílio & Cia., mas deixando algumas pinceladas de nostalgia. Além do tricampeonato carioca, o cantor recordava uma curiosidade de outro histórico flamenguista: Ary Barroso que, em suas narrações esportivas, anunciava o gol da equipe tocando uma gaita.

12 - FLAMENGO (1970)

Até mesmo um torcedor de outro clube se rendeu ao Flamengo. Oficialmente torcedor do América, Tim Maia reservou uma faixa de seu primeiro disco (no qual há músicas consagradas como "Azul da Cor do Mar" e "Primavera") a... "Flamengo". A música traz simplesmente os gritos do nome do clube, ao som de um instrumental bem dançante.