icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
30/08/2015
20:29



A torcida do Santos gosta de dizer que "Ricardo Oliveira é meu pastor e o gol não faltará". Mais que inspirado no Salmo 23 da Bíblia, o camisa 9 ajudou a guiar o Peixe às "águas tranquilas" com um golaço e uma vitória por 1 a 0 diante do Cruzeiro, neste domingo, no Mineirão. É a primeira vitória fora de casa do Santos em toda a edição de 2015 do Campeonato Brasileiro, e de quebra leva a equipe a uma incrível invencibilidade de dez jogos na temporada.

Ainda que o Santos "andasse pelo vale da sombra da morte" antes da chegada de Dorival Júnior, agora não há muito o que temer. São oito pontos de vantagem em relação ao primeiro da zona de rebaixamento, e só quatro abaixo do G4, um sonho que parecia distante há alguns meses, e hoje é mais do que real. Pobre Raposa, que permanece na beira do precipício com Vanderlei Luxemburgo.

Apesar da vitória, não foi um jogo de facilidades para o visitante, um time que apostou quase totalmente em contragolpes, mas não deu lá muita sorte nos primeiros minutos de bola rolando. O Cruzeiro teve até um gol bem anulado aos 16 do primeiro tempo, quando Vinicius Araújo recebeu à frente de Gustavo Henrique.

Nos setores ofensivos, a diferença entre as equipes ficou evidente. Alisson cansou de limpar Victor Ferraz, abrir espaço e criar chances, mas o Cruzeiro não aproveitou nenhuma. Do outro lado, Neto Berola não ajudava a marcar, o que sobrecarregava Zeca, e nem construía ofensivamente, o que atrapalhava os interessados Lucas Lima e Marquinhos Gabriel. Mas lembra que não há mal a temer? "Porque tu estás comigo", responderia o santista ao seu artilheiro.

O 12º gol de Ricardo Oliveira no Brasileiro, 25º em 2015, merece um parágrafo à parte. Foi aos 42, quando a bola chegou dos pés de Victor Ferraz em um passe curto, quase no meio, despretensioso. A bola chegou mansinha, parecendo saber que seu lugar era ali. Ajeita pra cá, ajeita pra lá e pá. Golaço. No ângulo de Fábio, um tiro firme e corajoso que estabeleceu a vantagem santista no Mineirão.

O segundo tempo, obviamente, foi do Cruzeiro tentando achar espaço com mudança de peças, mas não de postura. E o Santos de defendendo para o cálice não transbordar. No fim, Vanderlei interceptou as poucas chances criadas pelo Cruzeiro e o placar ficou assim mesmo, vitória do Peixe por 1 a 0. Três pontos fora de casa que dão tranquilidade ao Santos neste processo de reação. Três pontos em casa que farão muita falta à Raposa lá na frente.

Na próxima rodada, o Cruzeiro visita a Ponte Preta quarta-feira, às 19h30, no Moisés Lucarelli. Já o Santos recebe a Chapecoense na quinta, no mesmo horário, na Vila Belmiro.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 0 x 1 SANTOS 

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data/Hora: 30 de agosto de 2015, às 18h30
Árbitro: Rodolpho Toski (PR)
Assistentes: Fabrício Vilarinho (GO) e Ivan Carlos Bohn (PR)
Público/Renda: 8.271 pagantes/R$ 252.400,00
Cartões amarelos: Marinho, Fabrício e Arrascaeta (CRU); Ricardo Oliveira, Vanderlei (SAN)
Cartão vermelho: Fabrício, 39'/2ºT (CRU)

GOL: Ricardo Oliveira, 41'/1ºT (0-1)

CRUZEIRO: Fábio; Ceará, Bruno Rodrigo, Manoel e Fabrício; Willians, Henrique (Arrascaeta, 24'/2ºT) e Marcus Vinícius (Gabriel Xavier, intervalo; Marinho, Alisson e Vinícius Araújo (Allano, intervalo). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia (Lucas Otávio, 32/2ºT), Marquinhos Gabriel e Lucas Lima (Léo Cittadini, 45'/2ºT); Neto Berola (Leandro, 9'/2ºT) e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.



A torcida do Santos gosta de dizer que "Ricardo Oliveira é meu pastor e o gol não faltará". Mais que inspirado no Salmo 23 da Bíblia, o camisa 9 ajudou a guiar o Peixe às "águas tranquilas" com um golaço e uma vitória por 1 a 0 diante do Cruzeiro, neste domingo, no Mineirão. É a primeira vitória fora de casa do Santos em toda a edição de 2015 do Campeonato Brasileiro, e de quebra leva a equipe a uma incrível invencibilidade de dez jogos na temporada.

Ainda que o Santos "andasse pelo vale da sombra da morte" antes da chegada de Dorival Júnior, agora não há muito o que temer. São oito pontos de vantagem em relação ao primeiro da zona de rebaixamento, e só quatro abaixo do G4, um sonho que parecia distante há alguns meses, e hoje é mais do que real. Pobre Raposa, que permanece na beira do precipício com Vanderlei Luxemburgo.

Apesar da vitória, não foi um jogo de facilidades para o visitante, um time que apostou quase totalmente em contragolpes, mas não deu lá muita sorte nos primeiros minutos de bola rolando. O Cruzeiro teve até um gol bem anulado aos 16 do primeiro tempo, quando Vinicius Araújo recebeu à frente de Gustavo Henrique.

Nos setores ofensivos, a diferença entre as equipes ficou evidente. Alisson cansou de limpar Victor Ferraz, abrir espaço e criar chances, mas o Cruzeiro não aproveitou nenhuma. Do outro lado, Neto Berola não ajudava a marcar, o que sobrecarregava Zeca, e nem construía ofensivamente, o que atrapalhava os interessados Lucas Lima e Marquinhos Gabriel. Mas lembra que não há mal a temer? "Porque tu estás comigo", responderia o santista ao seu artilheiro.

O 12º gol de Ricardo Oliveira no Brasileiro, 25º em 2015, merece um parágrafo à parte. Foi aos 42, quando a bola chegou dos pés de Victor Ferraz em um passe curto, quase no meio, despretensioso. A bola chegou mansinha, parecendo saber que seu lugar era ali. Ajeita pra cá, ajeita pra lá e pá. Golaço. No ângulo de Fábio, um tiro firme e corajoso que estabeleceu a vantagem santista no Mineirão.

O segundo tempo, obviamente, foi do Cruzeiro tentando achar espaço com mudança de peças, mas não de postura. E o Santos de defendendo para o cálice não transbordar. No fim, Vanderlei interceptou as poucas chances criadas pelo Cruzeiro e o placar ficou assim mesmo, vitória do Peixe por 1 a 0. Três pontos fora de casa que dão tranquilidade ao Santos neste processo de reação. Três pontos em casa que farão muita falta à Raposa lá na frente.

Na próxima rodada, o Cruzeiro visita a Ponte Preta quarta-feira, às 19h30, no Moisés Lucarelli. Já o Santos recebe a Chapecoense na quinta, no mesmo horário, na Vila Belmiro.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 0 x 1 SANTOS 

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data/Hora: 30 de agosto de 2015, às 18h30
Árbitro: Rodolpho Toski (PR)
Assistentes: Fabrício Vilarinho (GO) e Ivan Carlos Bohn (PR)
Público/Renda: 8.271 pagantes/R$ 252.400,00
Cartões amarelos: Marinho, Fabrício e Arrascaeta (CRU); Ricardo Oliveira, Vanderlei (SAN)
Cartão vermelho: Fabrício, 39'/2ºT (CRU)

GOL: Ricardo Oliveira, 41'/1ºT (0-1)

CRUZEIRO: Fábio; Ceará, Bruno Rodrigo, Manoel e Fabrício; Willians, Henrique (Arrascaeta, 24'/2ºT) e Marcus Vinícius (Gabriel Xavier, intervalo; Marinho, Alisson e Vinícius Araújo (Allano, intervalo). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia (Lucas Otávio, 32/2ºT), Marquinhos Gabriel e Lucas Lima (Léo Cittadini, 45'/2ºT); Neto Berola (Leandro, 9'/2ºT) e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.