João Mércio Gomes
17/07/2018
08:15
Rio de Janeiro (RJ)

Depois de um mês de preparação, o Vasco voltou à rotina de partidas logo de cara com uma eliminação em casa. Mas se engana quem acha que isso seria motivo para crise. Com situação complicada, precisando reverter um placar de 3 a 0, a classificação às quartas era considerada difícil pela comissão técnica e o plano era fazer um bom jogo para alinhar a equipe no segundo semestre. De certa forma, a partida contra o Bahia foi positiva para Jorginho.

O resultado de 2 a 0 não serviu para passar de fase, mas serve para definir um modelo de jogo com a cara do treinador. O esquema tático não muda tanto do utilizado por Zé Ricardo, mas a forma de atuar é diferente. E a união com a torcida é um ponto bastante explorado por Jorginho.

- Esse jogo foi fundamental para que a gente entenda que aqui é nossa casa. Temos que nos sentir assim, acolhidos e amados. A torcida deu um show hoje - afirma o treinador.

- Deu para demonstrar que a equipe está muito bem organizada, equilibrada. Equipe se defende muito bem, consegue construir o jogo.

E deu mesmo. Os dois gols que o Vasco marcou saíram de bolas paradas, é verdade, mas a construção de jogo surpreendeu. No lance do pênalti sofrido, o time teve um minuto inteiro de posse de bola, com participação de oito atletas de linha na jogada. Confira abaixo:

Portanto, mesmo sem a vaga, os vascaínos saem de cabeça erguida de São Januário. E com expectativa de melhora de rendimento no segundo semestre. Se depender de Jorginho, este será o padrão das atuações no Brasileirão e Sul-Americana.

- Tivemos algumas oportunidades, fomos felizes em algumas conclusões. Acho que estamos no início de um trabalho, já vejo resposta muito grande da equipe na organização. Tem que ter sangue nos olhos e vibrar. Eu vi isso.

placeholder