Hyoran - Galeria

Hyoran venceu os oito jogos que já disputou na Libertadores (Foto: Divulgação/Flickr)

LANCE!
17/04/2019
14:38
São Paulo (SP)

Em busca de mais espaço no Palmeiras, Hyoran tem estatísticas a seu favor: venceu todos os jogos que já disputou em Libertadores (oito partidas, oito triunfos) e não perde há 29 jogos, levando em conta qualquer torneio. Preparando-se para enfrentar o Melgar (PER) na quinta-feira que vem, pela Copa, o meia-atacante preferiu dividir os méritos com o elenco.

- Não tem isso (de ser talismã). Nunca teve. É um dado legal essa questão de eu não perder há 29 jogos. Mas nunca teve esse negócio de talismã, e nem quero que tenha. É fruto de um resultado que a gente consegue em campo. É um retrospecto muito bom, e se vocês quiserem mostrar para o Felipão... (risos) - brincou o camisa 28, que aceita melhor o apelido usado por Luiz Felipe Scolari e os jogadores dentro da Academia de Futebol.


- Sou querido por todos aqui e fico feliz com isso. Todos têm um carinho enorme por mim. Tem uma brincadeira que o Felipão gosta de me chamar de guri, então virou o guri do grupo. 'Ô guri, ô guri, vem cá guri'. É uma brincadeira legal e sadia. A gente tem essa liberdade com todos os jogadores, isso deixa o grupo unido e feliz - acrescentou.

A última vez que Hyoran saiu de campo derrotado foi no dia 30 de maio de 2018, para o Cruzeiro, pelo Brasileiro. Desde então, foram 22 vitórias e sete empates - muitos deles, porém, com o meia-atacante saindo do banco de reservas. Foi assim nos três triunfos deste ano na Libertadores, em que ele entrou no segundo tempo - contra o Junior Barranquilla (COL), no Allianz Parque, inclusive fez um gol.

- Fico feliz, porque em todos os jogos que eu participei na Libertadores a gente tem conseguido ganhar. Mas não foi o Hyoran que ficou 100%, é o grupo todo. É um bom retrospecto, mas um retrospecto que não é só meu, tem que ser dividido - completou.


Fora da lista de inscritos no Paulista, o jogador revelado pela Chapecoense espera conseguir mais chances com o início da Copa do Brasil e do Brasileirão. Uma conversa com Felipão nesta temporada o motiva a considerar que terá mais minutos.

- Eu acabei tendo um tempo a mais de preparação pelo fato de ficar fora do Paulista. Claro que eu queria estar jogando e ajudando no Paulista, Mas como a lista era mais enxuta, o Felipão optou por outros jogadores. Segui trabalhando da mesma forma. Eu conversei com o Felipão, para saber o que ele planejava, se me liberaria para que eu tivesse oportunidade em outro clube, mas ele disse que não ia me liberar, que me usaria na Libertadores. A tendencia é jogar mais e atuar mais. Estou a disposição dele - encerrou.