Abertura Pan

Cerimônia de abertura dos Jogos Pan-Americanos aconteceu na noite desta sexta-feira (Luis ROBAYO / AFP)

Paula Vieira
27/07/2019
00:14
Lima (PER)

A cerimônia de abertura dos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019 levou o nome de 'Alucina Peru' e o impacto causado no público presente no Estádio Nacional foi exatamente o esperado pela organização do evento. Escolhida pela primeira vez como sede da competição, a apresentação em Lima foi totalmente voltada para as riquezas históricas e culturais do país e fez o sangue dos peruanos ferver.

História peruana contada em ritmo de festa
Diante dos olhos do líder do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, e do presidente do Peru, Martín Vizcarra, o espetáculo contou com danças e músicas típicas, menções gastronômicas, show de luzes e interpretações que mostraram desde o período pré-hispânico, com indígenas navegando em caballitos de totora durante a pesca no Pacífico, até a tomada das mulheres no surf local.

Antes de Sandra Muente e Guillermo Bussinger cantarem a música oficial do Pan, o público ainda acompanhou a performance dos Cavalos de Passo peruanos e a tradicional Dança Marinera. Até o mascote Milco, que faz referência às culturas das civilizações antigas provenientes da costa central do Peru, entrou no clima e no ritmo do cajón.

Martine e Kahena entram para a história mais uma vez

Abertura Pan
Pela primeira vez, o Brasil teve mulheres como porta-bandeiras dos Jogos Pan-Americanos (Cris BOURONCLE / AFP)

Para quem assistiu a cerimônia do Brasil, o momento mais emocionante aconteceu quando Martine Grael entrou no estádio sobre os ombros de Kahena Kunze. As velejadoras campeãs do ouro nas Olimpíadas Rio 2016 entraram para a história ao tomarem a frente da delegação com a bandeira verde e amarela em punho. Esta foi a primeira vez que as mulheres assumiram a posição em Jogos Pan-Americanos.

Antes do desfile do Time Brasil, Martine e Kahena deram o clima de diversão e embalaram com a já conhecida "ola" os 110 atletas participantes da cerimônia (13 modalidades) e torcida.

Descobertas e técnicas milenares ganham vida no Estádio Nacional
Após a entrada das delegações, o espetáculo cultural teve sequência com atores que encenaram a chegada do povo à Machu Picchu e os costumes festivos de San Juan. Embalados pelo som de flautas, os artistas também fizeram alusão ao tecido do país, que possui a técnica de tingimento mais antiga do mundo e abriram espaço para fashionistas peruanos apresentarem suas criações. O tenor Juan Diego também emocionou na noite desta sexta-feira e foi aplaudido de pé ao final de sua apresentação.

Para mostrar o valor que o esporte olímpico tem no país, medalhistas e personalidades locais que se destacaram nas últimas edições dos Jogos Pan-Americanos foram homenageados e eles mesmos guiaram a bandeira Sports Panam (entidade máxima do esporte nas Américas) até o mastro.

COB e Sports Panam dão as boas vindas
Minutos antes de o estádio se iluminar com a chama da tocha olímpica, o presidente do Comitê Organizador do Pan de Lima, Carlos Neuhaus deu as boas vindas aos atletas e torcedores.

- Sejam todos bem-vindos ao maior show que essa cidade já viu... Nós já temos uma nova geração dourada de peruanos, com novos heróis e novos exemplos. Vamos levar essa oportunidade a todos para que o esporte tenha parte maior na vida das pessoas. Lima 2019 vai reforçar o papel do Peru no cenário mundial.

O presidente da Sports Panam também deixou o seu recado.

- O Peru preparou uma festa maravilhosa para o esporte da América. Essa conquista pertence a todo o país. Parabéns, vocês conseguiram - declarou o dirigente.

Pira Olímpica ganha vida em meio a história inca
A oficialização da abertura dos Jogos Pan-Americanos Lima 2019 aconteceu com o discurso do presidente do Peru, Martín Vizcarra.

- O Peru, terra de grandes culturas e de uma história milenar, os recebe de braços abertos. Declaro solenemente inaugurado os Jogos Pan-Americanos de Lima 2019.

O momento mais aguardado da noite se iniciou quando a medalhista de ouro no atletismo em 1975, Edith Noeding, iniciou o percurso de revezamento com a tocha olímpica. O artefato foi entregue à jovem dupla de atletas Ariana Baltazar e Carlos Mano, que repassaram à Lucha Fuentes, lenda do voleibol peruano. Coube a Cacilia Tait, prata em Seul 1988, a missão de acender a pira.

Cantor do hit 'Despacito', Luis Fonsi encerra a festa
Apesar de ter bombado nos últimos anos com o hit 'Despacito', o porto-riquenho Luis Fonsi deu passagem para canções "Imposible", "Calypso", "Échame La Culpa", "Date La Vuelta", "No Me Doy Por Vencido" e "Party Animal" antes de encerrar a noite com sua produção mais conhecida.