Futebol Latino
24/07/2019
21:11
Montevidéu (URU)

Na cidade de Montevidéu, mais precisamente no estádio Gran Parque Central, Nacional-URU e Internacional fizeram um jogo de duas etapas com estilos frontalmente opostos pela ida das oitavas de final na Copa Libertadores e pareciam se encaminhar para o empate sem gols. Porém, a presença de área e estrela de Paolo Guerrero desequilibrou favoravelmente ao time brasileiro que faturou uma ótima vitória por 1 a 0 no Uruguai.

Com isso, o Colorado pode empatar por qualquer placar na próxima quarta-feira, às 19h15 (horário de Brasília), no Beira-Rio, que segue para as quartas de final. Em caso de vitória do Bolso no Brasil por dois ou mais gols, o time fica com a vaga. Caso ganhe pelo placar de 1 a 0, o duelo vai às penalidades.

SEM MEDO DE SER FELIZ

Se impondo desde cedo no confronto, os comandados de Odair Hellmann posicionavam suas linhas de maneira avançada e tinha bem mais a posse de bola no ataque dentro dos primeiros minutos do que o time charrua. Foi dessa forma, aliás, que o ataque trabalhou bem com Patrick trabalhando para o papel de "pivô" ser exercido por Guerrero e, na volta, o meio-campista pegou bem na bola e viu ela passar em diagonal no lado esquerdo de Sergio Rochet.

POR DETALHE!

Na base da bola parada, não fosse o pé salvador do zagueiro Guzmán Corujo, o Colorado teria inaugurado o marcador aos 19 minutos. Depois da cobrança de falta executada por D'Alessandro, a bola foi cortada pela defesa uruguaia e Nico López bateu "mascado", dando tempo de reação para o camisa 21 fazer o corte na pequena área.

ACORDOU E PRESSIONOU

Quando o Nacional conseguiu ajustar sua marcação ao ponto de dificultar a formação de jogadas do Inter desde o sistema defensivo, as coisas se complicaram para o time brasileiro e começaram a clarear para os anfitriões. Foi nesse período que o atacante Gonzalo Bergessio, por duas vezes, além de Matías Zunino chegaram com muito perigo quando a trave esquerda, uma defesa providencial de Marcelo Lomba e o erro na finalização do camisa 9 acabaram salvando a pele do Colorado.

PERDEU RITMO

Em boa parte da primeira metade no tempo complementar, o duelo desacelerou bastante em comparação ao que foram os movimentados 45 minutos iniciais. Nesse tipo de confronto, baseando-se em muitas disputas físicas, quem invariavelmente levava vantagem eram os uruguaios que exigiram um intenso trabalho da zaga do Inter que, mesmo prevenindo finalizações mais perigosas, estava vendo sempre a bola rondando sua grande área.

ARRISCA, COLORADO!

Em uma das poucas investidas que conseguiu abrir espaço na compactada defesa do Tricolor, Bruno limpou bem a marcação já na intermediária ofensiva após passe de D'Alessandro e acertou uma pancada que colocou em dificuldades Rochet. Quem fez o mesmo e levou perigo também foi Sobis, batendo de longe em bola que passou do lado esquerdo do gol e gerando bastante reclamação do arqueiro do Nacional com seus companheiros de defesa.

ARTILHEIRO É ARTILHEIRO!

O jogo se encaminhava para a igualdade sem gols, mas o substituto de D'Ale, Wellington Silva, fez fila na defesa do Nacional e acionou Guerrero. O camisa 9 peruano foi frio e calculista, batendo cruzado e sem chances para Rochet, marcando o único tento da noite em Montevidéu.

FICHA TÉCNICA
NACIONAL 0 x 1 INTERNACIONAL

Local: Gran Parque Central, Montevidéu (URU)
Data-hora: 24/07/2019 - 19h15 (horário de Brasília)
Árbitro: Nestor Pitana (ARG)
Assistentes: Gabriel Chade e Julio Fernández (ARG)
VAR: Gery Vargas (BOL)
Cartões amarelos: Neves, Lorenzetti (NAC); Edenilson, Uendel, Guerrero (INT)
Cartões vermelhos: -
Gols: Guerrero, aos 44'/2°T

NACIONAL: Sergio Rochet; Guillermo Cotugno (Gonzalo Castro, aos 35'/2°T), Guzmán Corujo, Felipe Carvalho e Matías Viña; Gabriel Neves, Rafael García (Felipe Carballo, aos 42'/2°T), Matías Zunino e Gustavo Lorenzetti (Pablo Barrientos, aos 26'/2°T); Kevin Ramírez e Gonzalo Bergessio. Técnico: Álvaro Gutiérrez.

INTERNACIONAL:​ Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso (Nonato, aos 35'/2°T) Edenílson, Patrick, D'Alessandro (Wellington Silva, aos 39'/2°T) e Nico López (Rafael Sobis, aos 14'/2°T); Paolo Guerrero. Técnico: Odair Hellmann.