LANCE!
24/06/2019
12:26
São Paulo (SP)

Yuri Martins já era considerado um dos melhores jogadores de pôquer do Brasil, mas agora colocou seu nome de vez na história. O curitibano foi o campeão do Evento #51 ($2.500 Mixed Stud Hi-Lo, Omaha Hi-Lo), levando prêmio de US$ 213.750 e o sexto bracelete brasileiro da WSOP.

Pela primeira vez, o país conquistou dois braceletes na mesma edição da série, já que Murilo Figueredo ficou com a vitória no Evento #14. Curiosamente, os dois títulos vieram em torneios Mixed, nos quais o Brasil nunca tinha terminado no topo.

Segundo o HendonMob, esse é o maior prêmio ao vivo da carreira do jogador, que também possui uma carreira vitoriosa no online sob o nick “TheNERDguy”. Com a forra, ele ultrapassou a marca de US$ 900 mil em resultados live, pulando para a 16ª posição entre os brasileiros.

O profissional começou o dia com o quinto stack entre os 12 sobreviventes, mas chegou muito perto de cair em 11º. Após perder mão para Dan Zack, ele sobrou com cerca de 60.000 fichas. No entanto, conseguiu dobrar logo na mão seguinte para evitar a queda.

Quando foi formada a mesa final, Yuri ainda tinha um dos menores stacks. No entanto, em uma boa sequência, passou a ficar entre os líderes. Com oito jogadores restantes, o torneio travou. Enquanto os blinds subiam e os stacks ficavam cada vez mais curtos, ninguém caía. Sempre que havia all in, o short stack dobrava ou o pote era splitado.

O que se viu a partir daí foi uma exibição de gala do brasileiro. Yuri seguiu colocando pressão nos adversários e se mantendo na liderança. Após eliminar Alex Livingston no sétimo lugar, o profissional passou a possuir metade das fichas em jogo com seis jogadores restantes.

O craque se manteve sempre no topo e controlando as ações, enquanto os oponentes iam sendo eliminados. No 3-handed contra Denis Strebkov e Michael Thompson, o jogo apertou e Yuri chegou a perder a liderança. Após cerca de uma hora, Denis foi eliminado, e Yuri começou o heads-up com ligeira vantagem.

Pelos altos blinds, o maior stack trocou de mãos várias vezes. No entanto, após scoopar dois potes em sequência, o brasileiro assumiu uma larga dianteira. Ele ainda precisou sofrer por algumas mãos que acabaram splitando, mas selou a vitória no Pot Limit Omaha Hi-Lo. A ação terminou em all in no flop, e o adversário estava drawing dead já no turn.

* Este conteúdo é desenvolvido em parceria com o SuperPoker