Maratona de Chicago 2021 volta a ser presencial com participação de 35 mil corredores. (Divulgação)

Maratona de Chicago 2021 volta a ser presencial com participação de 35 mil corredores. (Divulgação)

Iúri Totti 
09/10/2021
22:00
Corrida Informa

Os quenianos Reuben Kipyego e Ruth Chepngetich e os americanos Sara Hall e Galen Rupp liderando são os destaques da Maratona de Chicago, neste domingo (10). A prova terá cerca de 35 mil corredores, que devem estar com a vacinação completa ou apresentarem teste negativo para a Covid-19 feito 72 horas antes da largada.

Depois de Berlim, no dia 26 de setembro, e Londres, em 3 de outubro, Chicago é a terceira prova da World Majors Marathon. Boston acontece nesta segunda-feira (11). Essas quatro maratonas estão entre as seis principais do mundo. A Maratona de Nova York será em 7 de novembro e a de Tóquio foi adiada para 6 de março de 2022.

A última edição da Maratona de Chicago, em 2019, teve quebra de recorde mundial. A queniana Brigid Kosgei marcou 2h14m04s, 1m21s mais rápida que a britânica Paula Radcliffe, em 2003. Desta vez, suas compatriotas Chepngetich, que conquistou o título mundial em 2019, e Vivian Kiplagat estão entre os atletas em destaque.

Chepngetich está em quarto lugar na lista de maratonas femininas de todos os tempos, graças aos 2h17m08s, obtido na vitória em Dubai, há dois anos. É dela também o recorde mundial de meia maratona, com 1h04m02s, em abril deste ano, em Istambul. A atleta, de 27 anos, não conseguiu terminar a maratona olímpica em Tóquio, mas está ansiosa para sua estreia nos Estados Unidos em Chicago.

“Eu nunca corri nos Estados Unidos e fazer minha estreia em uma corrida tão grande como a Maratona de Chicago é mais do que um sonho para mim”, disse ela. “Vou me esforçar para correr o mais rápido possível.”

Hall estará entre aqueles que querem desafiá-la. O atleta dos EUA venceu Chepngetich na Maratona de Londres do ano passado, com a dupla terminando em segundo e terceiro, respectivamente, atrás de Kosgei. Meses depois, no Arizona, a americana conseguiu seu recorde pessoal, com 2h20m32s. Agora ela está de olho no recorde americano de Deena Kastor, de 2h19m36s.

“Quando pensei sobre onde queria perseguir o recorde americano, pensei que seria mais emocionante fazê-lo em casa, nos Estados Unidos, e Chicago é uma corrida épica”, disse ela.

As outras mulheres sub-2h25m são Kiplagat, a americana Keira D’Amato e a etíope Meseret Belete. Kiplagat, que correu sua melhor maratona em 2h21m11s, em 2019, registrou 2h39m18s, em Eldoret, em junho, mas mostrou sua forma atual com um melhor desempenho pessoal na meia maratona de 1h06m07s, em Copenhague no mês passado.

Assim como Hall, D’Amato também correu seu melhor tempo no Arizona, em dezembro, marcando 2h22m56s. Já Belete, de 22 anos, sexta no Campeonato Mundial de Meia Maratona de 2018, tem sua melhor maratona para 2h24m54s, em Houston, no ano passado.

Com seu recorde pessoal em 2h03m55s, na Maratona de Milão, em maio deste ano, o queniano Kipyego parte para a corrida de Chicago como o segundo homem mais rápido em 2021. O jovem, de 25 anos, fez sua estreia na maratona em Buenos Aires, em 2019, marcando 2h05m18s, e, mais tarde, também naquele ano, melhorou para 2h04m40s para vencer em Abu Dhabi, apesar de ter começado a corrida como coelho.

Seifu Tura, da Etiópia, vai para a prova procurando melhorar os 2h04m29s que estabeleceu ao terminar em quarto na Maratona de Milão deste ano. Ele também tem experiência em Chicago, tendo terminado em sexto em 2019, com 2h08m35s.

Rupp, medalhista de bronze nas Olimpíadas do Rio-2016, está retornando à ação após seu oitavo lugar na maratona olímpica de Tóquio, há nove semanas. Oitavo mais rápido entre os participantes, seu melhor tempo é de 2h06m07s, em Praga, em 2018, ele tentará recuperar o alto do pódio em Chicago, maratona que conquistou em 2017.

O queniano Dickson Chumba, campeão em Chicago em 2015, tem seu melhor tempo na edição de 2014 da Maratona de Chicago, quando marcou 2h04m32s. Outro corredor sub-2h05m é Kengo Suzuki, recordista japonês com 2h04m56s ao vencer a Maratona Lake Biwa, em fevereiro.

Eric Kiptanui, do Quênia, também deve ser observado. Coelho do recordista mundial Eliud Kipchoge no ano passado, ele estreou na maratona no ano passado e, em abril, venceu a Maratona de Siena, com 2h05m47s.

“Meu objetivo aqui em Chicago é fazer 2h03m ou 2h04m, mas minha primeira prioridade é vencer a corrida”, disse Kiptanui.