Aulas de educação física Ex-Árbitro Indio

Índio, com os alunos do projeto na Zona Oeste do Rio de Janeiro (Foto: Fausto Lemos/divulgação)

LANCE!
27/05/2022
16:28
Rio de Janeiro (RJ)

Com uma carreira de destaque como o árbitro de futebol que mais vezes apitou finais de campeonatos estaduais no Rio de Janeiro, Luís Antônio Silva Santos, o Índio, atualmente dá aulas de educação física em um projeto que assiste cerca de 80 pessoas com deficiência, entre crianças adolescentes e adultos, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. 

Após encerrar a carreira nos gramados, Índio atuou como instrutor técnico na Federação de Futebol do Rio em paralelo ao projeto social. O projeto no qual ele atua faz parte do programa da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência, que tem como padrinho o ex-jogador Romário.

- Tem sido muito gratificante e eu me emociono bastante, pois não esperava receber tanto carinho. Eles retribuem de uma forma ainda maior em relação ao que nós oferecemos a eles. É um trabalho muito humano, pois no futebol tudo era focado no resultado. Na educação física com eles, tudo é humano e gratificante! - contou o ex-árbitro.

Aulas de educação física Ex-Árbitro Indio
Índio com um dos alunos do projeto (Foto: DivulgaçãoFAUSTO LEMOS)

Índio ministra aulas de educação física no Centro de Referência da Pessoa com Deficiência no Mato Alto, em Jacarepaguá, desde maio de 2021. Cuidando desde crianças, até adolescentes e adultos, o ex-árbitro conta um pouco dos desafios do dia a dia.

- O maior desafio é proporcionar a eles uma melhor qualidade de vida, seja aos que tem algum comprometimento físico, seja o autista com particularidade cognitiva. Buscamos vencer as barreiras que os cercam e tentar minimizar a dor deles e dos familiares - contou Índio.

Aulas de educação física Ex-Árbitro Indio
(Foto: Fausto Lemos)

Árbitro da FFERJ (Federação de Futebol do Rio de Janeiro) desde 1995, Índio chegou à CBF em 1998, foi aspirante ao quadro da Fifa entre 2004 e 2008, até atuar como instrutor na preparação dos árbitros cariocas em meio à pandemia em 2020.