Marcio Porto
23/11/2017
13:03
São Paulo (SP)_

Nem o jogo que confirmou o hepta brasileiro, contra o Fluminense na Arena, nem a final do Campeonato Paulista contra a Ponte Preta. Para o goleiro Cássio, o momento mais especial do Corinthians na vencedora temporada 2017 foi um clássico contra o Palmeiras na primeira fase do Estadual. Foi isso o que ele disse nesta quinta-feira em entrevista coletiva, citando o Dérbi que terminou com vitória corintiana por 1 a 0 na Arena, gol de Jô.

- Esse ano, na minha opinião o jogo mais especial foi contra o Palmeiras, no Paulista, que ganhamos de 1 a 0. Todo mundo falava que seria goleada, time muito abaixo do adversário. E ali começamos mostrar nossa cara, o que podíamos fazer. Mostrou nossa força e que a torcida iria abraçar o time até o final - declarou o camisa 12.

Cássio também afirmou que a temporada 2017 foi a melhor de sua carreira, superando inclusive 2012, quando sagrou-se campeão da Libertadores e do Mundial pelo Timão. O goleiro da Seleção Brasileira confirmou que disputará os dois últimos jogos do Brasileiro antes de sair de férias. Após ser um dos principais destaques do time no ano, ele luta para ser eleito o melhor goleiro do Brasileiro.

- Acho que sim, foi a melhor. Pela regularidade. Títulos são importantes, trazem um bônus. Mas foi a regularidade, a gente fica experiente e agora é terminar bem para ter boas férias - declarou.

O ano será coroado no próximo domingo, no duelo contra o Atlético-MG na Arena. Será a entrega da taça e quem irá erguê-la, como capitão já escolhido pelo técnico Fábio Carille, será o camisa 12. 

- Estou muito feliz. Primeiro de tudo vem ganhar o título. Qualquer um poderia ser escolhido, todos são merecedores. Fico muito feliz de poder levantar a taça, passa um filme por tudo que vivi no Corinthians, conseguir dois títulos de extrema importância... Vou ficar muito feliz, mas devo a todos meus companheiros, comissão técnica, diretoria. Excelentes jogadores fizeram isso - afirmou.

Um dos atletas mais vitoriosos da história do Corinthians, com sete títulos, Cássio está prestes a estender seu vínculo pelo clube. Ele assinará nos próximos dias renovação de contrato válido até o fim de 2021. 

Confira abaixo outros trechos da entrevista de Cássio:

Risco de desmanche como em 2015
Naquela época, eu me recordo que era até engraçado, a gente não sabia. Estava treinando com os jogadores e eles acabavam sendo vendidos. O desmanche começou logo no início do ano, é difícil remontar. Hoje qualquer jogador sabe a parte tática, como defender e atacar. Quanto menos jogadores saírem, melhor para a gente fazer uma boa temporada em 2018.

​Como alguns jogadores podem sair, como Arana, isso atrapalha o planejamento?
Aí entra uma parte do Fábio (Carille) e da diretoria. A gente não sabe quem pode sair e quem pode chegar. Em 2015 não tinha especulação de ninguém sair. Sabemos que a visibilidade no Corinthians é grande, ganhamos um título que ninguém esperava. Acredito que tenha chance de vários jogadores saírem, mas a diretoria vai tentar segurar o máximo possíveis. O Corinthians é uma equipe que não costuma impedir os jogadores de saírem se for um bom negócio para os dois. Com certeza o Carille já tem um planejamento com a diretoria.

Tem noção de sua importância para o clube, pela história?
Não, acho que não. Nem me questiono sobre isso, nem fico pensando nisso. Naturalmente trabalhando. A gente vê quando sai na rua, as pessoas. Mas não me iludo com isso. Tenho sempre de tentar evoluir como profissional, ser humano. Vou ter noção quando se aposentar. Agora tenho que evoluir sempre, pés no chão. Estou muito feliz com os títulos. Nem nos meus melhores sonhos eu imaginava uma carreira assim no Corinthians, para mim o maior clube no Brasil por tudo. Estou muito feliz.