Igor Siqueira
03/07/2017
07:30
São Petersburgo (RUS)

Algum dos lados teria que perder na final da Copa das Confederações. Fatalmente para os chilenos, La Roja não conseguiu engatar a terceira conquista seguida em competições oficiais, após duas taças da Copa América. Muito pior foi para Marcelo Díaz, que agora tem que carregar nos ombros o peso de uma falhar marcante.

Marcelo não fugiu da raia após a partida. Enquanto companheiros, como Vidal e Beausejour, trataram de aliviar a barra dele, o meio-campista assumiu a responsabilidade pelo erro. E não segurou as lágrimas. Repórter não é robô. Por isso, deu pena. Ao ver aquele choro, que Marcelo brigou para segurar, foi interessante ver o quanto os chilenos trataram com seriedade a competição.

Foi, talvez, a imagem mais marcante do do dia. Mais até do que o jovem time alemão comemorando em campo, fazendo festa na coletiva de Joachim Löw e cantando nos corredores do estádio de São Petersburgo - que impressiona pela beleza e pelo tamanho (deu trabalho dar a volta nele).

O futebol tem dessas coisas. Mas um erro não pode apagar a história que já construiu essa seleção do Chile. O jeito agora é correr atrás dos resultados necessários nas Eliminatórias para poder voltar ano que vem.