Russel Dias
14/01/2017
08:00
Santos (SP)

Uma das prioridades do Peixe no fim do ano passado era negociar o atacante Thiago Ribeiro. Sem sucesso no mercado, a diretoria já aceitou a permanência do ex-camisa 11, mas com ressalvas. O presidente Modesto Roma Júnior acredita que sua permanência não trará desvantagem, mesmo com uma passagem ruim pelo Bahia, em que terminou afastado.

- Herdamos e vamos honrar a herança. Herdamos tanta coisa (da última gestão) que não vai ser o Thiago Ribeiro que vai causar problema. Vamos receber com carinho e extrair o melhor que ele puder dar - disse o dirigente ao ser questionado sobre a permanência do atacante.

Primeiramente, a diretoria acreditava que poderia envolvê-lo em uma troca, sem sucesso. Depois, a preocupação passou a ser financeira. Thiago tem salário superior ao teto de R$ 200 mil do clube. Ainda assim, o Peixe tenta administrar a questão.

Desde a reapresentação, no último dia 11, Thiago Ribeiro voltou a treinar com o grupo depois de passagens por Atlético-MG e Bahia. O técnico Dorival Júnior afirmou que vai observá-lo e que confia no atleta.

- É um jogador que sempre foi importante. Pelo posicionamento tático, por cumprir funções, por ser agressivo... Todo atleta passa por um momento instável. Ele tem capacidade, qualidade e condições de se recuperar bem. Confio muito. Provavelmente (vai ficar com ele) - explicou.