Vigésima edição do Ironman Brail vai reunir 2.203 triatletas de 34 países em Florianópolis. (Fábio Falconi/Unlimited Sports/Divulgação)

Vigésima edição do Ironman Brail vai reunir 2.203 triatletas de 34 países em Florianópolis. (Fábio Falconi/Unlimited Sports/Divulgação)

Iúri Totti
24/05/2022
12:00
Corrida Informa

A 20ª edição do Ironman Brasil, no próximo domingo (29), em Jurerê Internacional, em Florianópolis, a partir das 6h40m, vai reunir 2.203 competidores de 34 países, divididos nas categorias Elite e Faixa Etária, que enfrentarão 3,8km de natação, 180km de ciclismo e 42,1km de corrida. A maior prova de triatlhon do país vale vagas para o Ironman World Championship 2022.

Consagrado internacionalmente, o Ironman Brasil vem, há mais de duas décadas, contribuindo para o crescimento e evolução do triatlhon brasileiro. Para isso, trouxe e traz ao país referências internacionais da modalidade, possibilitando o intercâmbio técnico, além de possibilitar que os triatletas nacionais possam participar de grandes eventos sem sair do país. Essa evolução fica clara quando se compara o número de competidores da primeira edição, em 2001, para este ano, pulando de 476 para mais de 2.200.

Um importante ponto a ser destacado ao longo dos 20 anos do Ironman Brasil são os benefícios que a prova gera para a região. Afinal, o evento movimenta a comunidade local, com cerca de 2.500 pessoas no staff, que garantem toda a assistência e conforto para os participantes desde a retirada de kits e, especialmente, no dia da prova. Um verdadeiro exército de colaboradores, composto por estudantes, militares e voluntários, que contribuem para a viabilização do evento. Estes ficam dispostos em áreas localizadas estrategicamente por todo o percurso e abastecem os atletas com hidratação e alimentação.

Destaques brasileiros do Ironman Brasil

A movimentação financeira que o Ironman Brasil proporciona também é bastante significativa, envolvendo hotéis e restaurantes. Em 20 edições, a média é de R$ 30 milhões, que fazem dele um evento com alto potencial turístico e econômico para a cidade.

O Brasil faz parte da história de sucesso, garantindo resultados bastante expressivos. São quatro títulos, sendo três no feminino com Fernanda Keller (2004 e 2008) e Ariane Monticeli (2015), e uma conquista no masculino, com Igor Amorelli (2014), além de grandes duelos.

Nesta edição especial, 15 triatletas representarão o Brasil, todos com ótimas chances de uma excelente performance. Lembrando que a Elite ainda disputará vagas para a final do Mundial Ironman, no Havaí. A proporção do número de vagas por categoria é feita após a largada, levando em consideração a quantidade de atletas que largam na prova.

No masculino, o catarinense Igor Amorelli surge como grande nome. Além do título em 2014, ele foi vice em 2018 e venceu o Ironman de Maastritch (Holanda/2016). Em provas do Ironman 70.3, foram três títulos no Brasil (Florianópolis 2018/2019 e Palmas 2017), figurando ainda no topo do pódio em Manta (Equador/2018), Miami (EUA/2017), San Juan (Porto Rico/2015) e Punta del Este (Uruguai/2015).

Outros nomes fortes do Brasil são o gaúcho Frank Silvestrin, terceiro colocado no Ironman Brasil de 2019; Reinaldo Colucci, bicampeão do Ironman 70.3 Rio de Janeiro (2018 e 2019), terceiro colocado no 70.3 de Pucón (Chile) neste ano e representante do país nos Jogos Olímpicos de Pequim (2008) e Londres (2012); Fernando Toldi, terceiro colocado no Ironman 70.3 Rio de Janeiro (2018); Diogo Sclebin, campeão amador em Kona (2005), que fará sua estreia no Ironman Brasil, e integrante da equipe olímpica nos Jogos Olímpicos de Londres (2012) e Rio de Janeiro (2016); além dos experientes Bruno Matheus, Danilo Melo, Eduardo Lass, Filipe Azevedo, Gabriel Klein, Luis Ohde, Luiz Francisco Paiva Ferreira e Vinícius Canhedo.

Três brasileiras na disputa do título

Serão três atletas brasileiras na disputa do título na Elite feminina, mas todas com experiência e feitos de respeito nos cenários nacional e internacional. A capixaba Pamella Oliveira é um exemplo disso, pois chega para a prova com o segundo lugar no Ironman Brasil 2019, em sua estreia na competição, o quarto lugar no Mundial Ironman 70.3 em 2018, na África do Sul, as conquistas no Ironman 70.3 Florianópolis (2018 e 2019), e no Rio de Janeiro (2017, 2018 e 2019). Bruna Manh, de Itajaí (SC), será outra atração nacional. Duas vezes terceira colocada no Ironman Brasil, a triatleta conhece bem os desafios da prova e ainda soma um vice no Ironman 70.3 Rio de Janeiro em 2018. O Brasil ainda terá a paulista de Santos Bia Neres, destaque das provas com distância olímpica, mas que também soma feitos nas distâncias maiores. Foi campeã do Ironman 70.3 Palmas e do Triathlon Internacional de Santos em 2017, ano que também conquistou o Mundial Militar.

Os destaques estrangeiros

Entre os homens, estão inscritos o francês Arnaud Guilloux, campeão do Ironman de Wales, o equatoriano Diego Vasquez, o canadense Elliot Holtman, campeão do Ironman da Austrália, o português Filipe Azevedo, campeão do Ironman 70.3 China, o argentino Mario Elias, terceiro colocado no Ironman de Cozumel (México), o norte-americano Aaron Kolk, que este ano ficou em oitavo no White Lake Half.

Já entre as mulheres, as atrações são a espanhola Gurutze Frades, recordista nacional de longas distâncias e nove vezes pódio de provas Ironman, e a sueca Sara Svenks, campeã do Ironman de Barcelona, Cozumel e St. Pölten. (Iúri Totti)