Fluminense x Internacional - Fernando Diniz

Derrota para o CSA, no Maracanã, pode causar a demissão de Fernando Diniz (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)

Joel Silva
14/08/2019
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

O vice geral Celso Barros, homem forte do futebol do Fluminense, deixou bem claro que a equipe precisa reagir no Campeonato Brasileiro. O recado foi dado principalmente para o técnico Fernando Diniz, que não consegue fazer o time engrenar na competição. Em 14 rodadas, são três vitórias, três empates e oito derrotas, apenas 12 pontos, um aproveitamento de 28,6%. Com isso o Tricolor ocupa a 16ª posição, um ponto do Cruzeiro, o primeiro dentro da zona de rebaixamento.

Fica evidente que para resolver a oscilação do Fluminense, Fernando Diniz terá que buscar o equilíbrio entre a defesa e o ataque, em meio a grande pressão por resultados. No cenário atual, manter a escalação, mudando apenas o posicionamento ou a postura dos jogadores em campo, pode não surtir o efeito imediato. Para isso, Diniz terá que abrir mão de algumas convicções e até mesmo de jogadores de sua confiança. O LANCE! listou três mudanças que podem ajudar a melhorar os resultados para o Tricolor.

REFORÇAR O MEIO-CAMPO

Fluminense x Ceará Yuri
Yuri pode dar a segurança defensiva para o Tricolor (Andre Melo Andrade/AM Press/Lancepress!)

O Fluminense tem por característica ter a posse de bola e trocar passes com paciência, tendo no seu meio-campo a habilidade como ponto forte. No entanto, Allan, Daniel e Ganso oferecem pouco poder de marcação e isso ficou nítido contra o Atlético-MG, que teve muitos espaços para atacar, principalmente pelo meio. Para tentar resolver esse problema, Diniz pode optar pela entrada de Yuri, um volante mais marcador, na vaga de um dos meias ou até mesmo de um atacante. Essa formação seria a mais indicada contra equipes muito fortes em casa, como Athlético-PR, Bahia e o próprio Atlético-MG, times que derrotaram o Tricolor em seus domínios.

REFORÇAR A LATERAL

Caio Henrique - Fluminense
Caio Henrique é volante, mas atua na lateral-esquerda (Lucas Merçon/Fluminense)

Já tem tempo que Caio Henrique atua improvisado na lateral-esquerdo do Fluminense. A confiança no volante jogando pelo setor é tão grande, que a diretoria não cogita mais a contratação de um jogador para a posição. No entanto, apesar das boas atuações, o Tricolor sofre muitos gols por esse lado, seja por falha de marcação ou cobertura. Por conta disso, um lateral de origem, pode corrigir esses problemas, dando mais segurança defensiva. Com Mascarenhas ainda sem ritmo de jogo, Igor Julião poderia ser deslocado para a esquerda e Gilberto voltaria ao time. Com isso, o próprio Caio Henrique reforçaria o meio-campo por ser um volante, mantendo a característica da equipe, já que possui mais facilidade em atacar do que Yuri. Para isso, Diniz também sacaria um dos meias ou um volante.

MUDAR AS CONVICÇÕES

Grêmio x Fluminense - Daniel
O Flu só venceu o Grêmio como visitante (Lucas Merçon/Fluminense)

Em entrevista na última terça-feira, Celso Barros afirmou que conversou com Diniz sobre o estilo de jogo do Fluminense e é bem capaz de ter aconselhado o treinador a pensar um pouco sobre as suas convicções e estratégias. O dirigente por exemplo, afirmou que um ponto diante do Atlético-MG, seria "sensacional", mesmo reconhecendo que o Tricolor jogou de igual para igual. No entanto, o time acabou derrotado, situação que se repetiu em pelo menos três oportunidades, contra Goiás, Botafogo e São Paulo, onde dominou a partida, mas acaba perdendo. No Maracanã, como nos exemplos citados, a postura é válida, porém como visitante, é necessário ter um pouco mais de cautela. Em sete jogos fora de casa, o Flu soma uma vitória, um empate e cinco derrotas.