Arte Técnicos Demitidos

Arte: Marina Cardoso/Lance!

LANCE!
26/07/2019
20:20
Rio de Janeiro (RJ)

O Campeonato Brasileiro de 2019 fez mais um treinador de vítima. A Chapecoense anunciou a demissão de Ney Franco, na última quarta-feira. O técnico não resistiu à goleada por 4 a 0, sofrida para o São Paulo, na última segunda-feira, pela 11ª rodada da competição nacional.

O ano de 2019, no entanto, foi o melhor em termos de demora para troca de comando no Brasil, entre os clubes da Série A, desde a adoção do formato de pontos corridos, em 2003. Foi a primeira vez que nenhum clube trocou de comando até a quinta rodada. O primeiro a deixar o cargo foi Abel Braga, que pediu demissão do Flamengo após a sexta rodada. Geninho, do Avaí e Marcelo Cabo do CSA, caíram após a nona rodada, na pausa para a disputa da Copa América. 

Flamengo - Sai Abel, entra Jorge Jesus

Flamengo x Peñarol Abel
Abel pediu demissão em maio (Foto: CARL DE SOUZA / CDS / AFP)

Sem suportar a pressão interna e externa sofrida, além de se sentir-se isolado, sem respaldo da diretoria do Flamengo, bel Braga pediu demissão do Rubro-Negro, no final de maio. A saída se deu logo após a sexta rodada, quando o Fla derrotou o Athletico-PR, de virada, no Maracanã, por 3 a 2. Abel teve aproveitamento de 67,7% à frente da equipe e foi campeão da Flórida Cup e do Campeonato Carioca. 

Para a vaga, o Flamengo trouxe o português Jorge Jesus, que estreou no Brasileirão na décima rodada, com uma goleada por 6 a 1 sobre o Goiás, no Maracanã. 

Avaí – Sai Geninho, entra Alberto Valentim

Geninho
Avaí não venceu sob o comando de Geninho (Foto: Divulgação / Avaí)

Em sua segunda passagem pelo Avaí, Geninho não resistiu ao mau rendimento em campo no Brasileirão. O time catarinense não conquistou nenhuma vitória sob o comando do treinador que somou com quatro empates e cinco derrotas. O técnico colocou o cargo à disposição depois da derrota para o Palmeiras, por 2 a 0,  na nona rodada, última antes da pausa para a Copa América. 

Para tentar escapar da lanterna do torneio e do rebaixamento o clube trouxe Alberto Valetim, ex Vasco da Gama. O novo comandante estreou com derrota para o Fortaleza e empatou sem gols com o Goiás, em casa.  

CSA – Sai Marcelo Cabo, entra Argel Fucks 

Marcelo Cabo (CSA)
Cabo foi demitido após amistoso (Thiago Parmalat/RCortez/CSA)

Em Alagoas, Marcelo Cabo perdeu o emprego no CSA, depois de uma derrota para o Sport, em amistoso disputado durante a pausa da Copa América. A diretoria do Azulão decidiu encerrar o trabalho do técnico antes do retorno do Brasileirão, pela ausência de bons resultados no torneio. 

Para o lugar de Cabo, o clube acertou com Argel Fucks, que estreou com derrota por 1 a 0 para o Corinthians, fora de casa e na rodada seguinte foi goleado por 4 a 0, pelo Athletico-PR, no Rei Pelé. 

Chapecoense demite Ney Franco após a 11ª rodada

Ney Franco (Chapecoense)
Ney Franco não resistiu à goleada (Foto: LIAMARA POLLI/AM Press)

Ney Franco não resistiu a goleada sofrida contra o São Paulo, por 4 a 0, na 11ª rodada do Brasileirão e foi demitido pela Chapecoense.  O treinador sofria com as críticas constantes das arquibancadas e teve um aproveitamento modesto de apenas 35,19%. A Chape fez o pior início no torneio desde o acesso à Série A, em 2014, e está na zona de rebaixamento. 

Vasco - Luxa estreia na quinta rodada

Vasco x Avaí - Vanderlei Luxemburgo
Luxa estreou contra o Avaí (Foto: MARCELO DE JESUS / RAW-IMAGE)

Depois de demitir Alberto Valentim na sequência da perda do título carioca para o Flamengo, o Vasco ficou sob o comando do treinador interino Marcos Valadares até a quinta rodada do Brasileirão. Vanderlei Luxemburgo, o novo comandante cruz-maltino, estreou com um empate com sabor de derrota com o Avaí em São Januário, com um gol sofrido nos acréscimos, após sair na frente. Após a parada para a Copa América, Luxa tem tido um bom desempenho à frente da equipe e conseguiu deixar o incômodo Z-4. 

Edições anteriores

Nelsinho Batista
Nelsinho Batista durou duas rodadas em 2018 (Foto:Reprodução)

Em 2018, Nelsinho Batista durou apenas duas rodadas à frente do Sport. Mesmo tempo que Paulo Autuori  levou para deixar o Athletico/PR e Ney Franco, o Leão da Ilha, no ano anterior.  

A edição de 2019 quebrou o recorde de rodadas sem troca de comandos nos clubes, desde 2003, quando o Campeonato Brasileiro adotou o sistema de pontos corridos.