Treino do São Paulo - Valdívia

Valdívia passou pelo São Paulo antes de ir para a Arábia Saudita (Foto: Marcello Zambrana/AGIF/Lancepress!)

Felippe Rocha e Luiza Sá
16/04/2019
10:00
Rio de Janeiro (RJ)

Sem entrar em campo desde novembro de 2018, Valdívia está de malas prontas para o Vasco. Conforme o LANCE! confirmou, o jogador chega ao Rio de Janeiro nesta terça-feira para assinar um empréstimo até o dia 31 de dezembro de 2019. O jogador chega ao Cruz-Maltino tentando reencontrar o espaço no futebol. Aos 24 anos, ele estava treinando por conta própria desde dezembro do ano passado, quando voltou de empréstimo do Al-Ittihad (SAU).

Considerado uma das principais promessas do Internacional há alguns anos, o jogador virou um problema para o clube colorado depois de ser devolvido pelo Al Ittihad. O contrato com o Inter é válido até 31 de dezembro de 2020.

Início de ouro de Valdívia

Valdivia, que se recupera de lesão, é um dos destaques do Internacional
Valdívia, em ação pelo Internacional (Foto: AFP)

Valdívia começou a se destacar em 2014, quando Abel Braga, hoje no Flamengo, era o treinador do Internacional. Ele participou da equipe que conquistou uma vaga na Libertadores e assumiu a titularidade no ano seguinte, quando o Inter chegou até às semifinais do torneio continental. Querido pela torcida naquele momento, o auge do jogador foi na temporada 2015, quando disputou 53 jogos, anotou 19 gols e foi muito bem na Liberta. Em 2016, porém, ele caiu de rendimento e viu o colorado ir para a Série B.

"Ele apareceu bem em 2015 com Aguirre, Teve lesão em 2016, perdeu a oportunidade de ir às Olimpíadas. Quando voltou da Arábia Saudita, ficou na casa dele no Mato Grosso. Valdívia falou sobre não querer jogar a série B e isso queimou ele no Inter", lembrou o repórter Gutiéri Sanchez, da Rádio Guaíba, de Porto Alegre.

Promessa que nunca se cumpriu

Valdivia do Inter
Valdívia pelo Internacional (Foto: Rodrigo Villalba/Photo Press)

Paulo Nunes, produtor da Rádio Grenal, analisou a passagem de Valdívia pelo Internacional desde o início.

"O Valdívia surgiu muito bem no Internacional no final de 2014. Ele foi um dos artilheiros do time na Libertadores com boas atuações, chegando até a semifinal. O atacante caiu nas graças da torcida muito rápido, chegou às categorias de base vindo do Rondonópolis e foi bem já. Tinha uma expectativa muito alta nele. Em 2015, quando o Internacional foi muito bem, campeão gaúcho, engrenando no Brasileiro, o Valdívia vinha sendo o melhor jogador do time. Era um jovem atleta respaldado pelos mais experientes. O elenco do Internacional era muito grande.

Na reta final de 2015 a equipe caiu, levou 5 a 0 do Grêmio e isso mexeu com o ambiente. A partir disso, o jogador não conseguiu ser o mesmo e teve uma lesão grave. Tinha a expectativa de participar das Olimpíadas. Quando ele voltou, o time já estava muito mal e acabou caindo no final do ano. O Valdívia não conseguiu se recuperar e render. Havia uma cobrança grande. Houve muitas mudanças e isso influenciou no atleta. Era um jovem jogador, que gostava muito de rede social, conquistou o torcedor por isso, e depois pegaram no pé dele por isso. No início de 2017, era esperado que ele ficasse no plantel, mas o atacante declarou que não gostaria de jogar a Série B e isso pegou mal. O Valdívia é um atleta no surgimento, com o time estruturado, e quando o Inter teve problemas fora e dentro de campo, ele foi afetado. Também pela lesão e a frustração de não jogar as Olimpíadas. Ele começou bem e depois decaiu."

Sonho interrompido

Suplentes da Seleção, Valdivia e Jean recebem medalha da Rio-2016
Valdívia chegou a receber a medalha olímpica (Foto: REPRODUÇÃO - LANCE!TV)

Titular absoluto de Rogério Micale na seleção olímpica, Valdívia se machucou em 2015, em um amistoso contra os Estados Unidos. Ele sofreu uma ruptura no ligamento cruzado no joelho esquerdo, passou por cirurgia e ficou cerca de oito meses em recuperação, perdendo a vaga nos Jogos Olímpicos. Valdívia apareceu apenas na lista de suplentes do torneio.

Derrocada no Inter

Valdivia Atlético-mg
Valdívia foi emprestado ao Atlético-MG (Foto: Bruno Cantini / Atlético)

O jogador começou a ficar queimado no Inter quando pediu para ser emprestado para não disputar a segunda divisão. Valdívia acabou desembarcando no Atlético-MG e não teve sucesso. Foram 33 jogos e apenas dois gols marcados entre 2017 e 2018.

Passagem ruim no São Paulo

Valdívia - São Paulo
Valdívia, durante passagem pelo São Paulo (Foto: Maurício Rummens/ Fotoarena/Lancepress!)

Valdívia ainda foi emprestado ao São Paulo em 2018 e fez apenas 19 jogos, com três gols. Setorista do Tricolor no LANCE!, Fellipe Lucena analisou a passagem do jogador pelo clube.

"Valdívia chegou ao São Paulo em fevereiro de 2018 e foi, por um breve período, o melhor jogador da equipe de Dorival Júnior. Mas sua passagem durou muito pouco, apenas até junho, quando ele aceitou uma proposta do Al Ittihad e avisou à diretoria que não havia como convencê-lo a ficar. A postura decepcionou muito os dirigentes.

A boa fase durou até a chegada de Diego Aguirre, que, curiosamente, era o treinador do Internacional durante a melhor fase da carreira do jogador e o elogiou já em sua coletiva de apresentação. O meia sofreu um estiramento na coxa esquerda logo que o treinador uruguaio chegou e, depois disso, não voltou a ter uma boa sequência de jogos. Chegou a ficar fora da lista de relacionados por opção técnica antes de se despedir
."

Arábia Saudita

Valdívia - Al Ittihad
Valdívia no Al Ittihad (Foto: Reprodução/Instagram)

Em junho de 2018, surgiu a chance de jogar no Al Ittihad. O contrato assinado inicialmente iria até o meio de 2019, mas o clube árabe decidiu antecipar a rescisão e devolver o jogador. Cercado de expectativa, Valdívia decepcionou. O jogador disputou apenas oito partidas e marcou um gol.