Novos boxes Interlagos - GP do Brasil 2019 de F1

Novos boxes em Interlagos permitirão modulagem de acordo com desejo das equipes (Gabriel Gavinelli/ F1Mania)

LANCE!
08/11/2019
20:52
São Paulo (SP)

Uma das novidades previstas para o GP do Brasil de Fórmula 1, penúltima etapa da temporada que já consagrou o britânico Lewis Hamilton como hexacampeão, será a inauguração de novos boxes em Interlagos no evento dos dias 15, 16 e 17 de novembro. 

Nessa quinta (7), o secretário municipal de Turismo e chefe da Casa Civil, Orlando Faria, e o secretário municipal de Infraestrutura Urbana e Obras, Vitor Aly, percorreram  o paddock do autódromo José Carlos Pace acompanhados pelo promotor da prova, Tamas Rohonyi. 

- Interlagos recebeu uma grande reforma que começou em 2014 e agora está sendo concluída. E ela vai deixá-lo no mesmo patamar dos melhores autódromos do mundo - disse Vitor Aly, na entrevista coletiva após a visita.

Já Orlando Faria, que representou o prefeito Bruno Covas, lembrou que os novos boxes têm capacidade para eventos grandes como exposições e congressos e não apenas para competições esportivas.

- Agora, com a cobertura do paddock que será feita logo depois da Fórmula 1, não faltará mais nada. O autódromo, que fará 80 anos no que vem, está renovado - afirmou.

Tamas Rohonyi, promotor do GP Brasil de Fórmula 1 desde o final da década de 70, falou da importância da reforma.

- Falam que Monza (circuito italiano) é o templo do automobilismo. Eu digo que é Interlagos. E agora ele está ainda melhor.

Os boxes antigos, construídos em 1990 quando a Fórmula 1 voltou do Rio para São Paulo, foram derrubados, restando apenas os pilares. Eles ganharam 80 cm de altura do pé direito, 60 cm de altura na porta traseira e passaram a contar com divisórias móveis no lugar das paredes. Dessa forma, a equipe pode dispor do espaço da forma que julgar mais conveniente. É possível até abrir todos os boxes ao mesmo tempo, criando uma área livre de 3 mil metros quadrados.

Outros detalhes são tomadas diferenciadas para a tensão elétrica (380/60 hz no Brasil e 415 volts/50 hz, na Europa), dispensando o uso de transformadores. As novas portas são automáticas e o piso recebeu uma camada fina de epóxi, como se utiliza no automobilismo internacional. Ele é claro, brilhante e, com o auxílio da iluminação de LED, facilita o trabalho de mecânicos.

Também presente na coletiva, o vereador Rodrigo Goulart, presidente da Comissão Extraordinária de Apoio ao Desenvolvimento de Turismo, Lazer e Gastronomia, afirmou o compromisso da entidade com a manutenção da prova em São Paulo, a partir de 2021.

- Estamos fazendo todo o esforço possível nesse sentido.