Botafogo SP x Corinthians

Mateus Vital foi um dos 11 titulares de Fábio Carille na partida contra o Botafogo (Foto: Celio Messias/Lancepress!)

Ana Canhedo
24/02/2019
21:15
São Paulo (SP)

As mudanças de Fábio Carille e a inteligência de Pedrinho na leitura de jogo fizeram a diferença a favor do Corinthians neste domingo. O treinador optou por uma escalação inicial quase toda reserva (exceto por Cássio, Ralf e Junior Urso) visando o jogo contra o Racing, na quarta-feira, na Argentina, e assistiu a um primeiro tempo de pouca inspiração. A partir do intervalo, as coisas mudaram. 

O Timão começou posicionado em um 4-1-4-1, com Ralf isolado na marcação atrás, Mateus Vital pela esquerda, Vagner Love pela direita e Junior Urso e Ramiro pelo meio. Mauro Boselli ficou isolado no ataque. Love, disposto a se movimentar por todo o setor de meio-campo, sofreu com a forte marcação. Vital, por sua vez, teve dificuldade no um contra um. Se Urso esteve à vontade, Ramiro não se encontrou nem pelo meio e tampouco aberto pela direita. 

A expulsão de Plínio, por falta duríssima em Ramiro, só jogou o Botafogo ainda mais para trás em Ribeirão Preto. Coube a Carille buscar profundidade com a entrada de Clayson já no intervalo. Na primeira jogada do atacante, Boselli recebeu cruzamento e cabeceou torto. Os quase 70% de posse de bola, até então, não surtiam efeito em chutes a gol. 

A jogada do gol só saiu depois de Carille optar pelas entradas de Pedrinho e Gustagol, dois de seus principais jogadores atualmente. Pedrinho começou atuando aberto pela direita, onde ficou escondido. Inteligente, optou por puxar uma jogada pelo meio. Foi assim que encontrou Gustagol na área. Bem posicionado, só escorou de cabeça para Boselli completar abrindo o placar. 

Destaque não só para a boa movimentação de Pedrinho no começo da jogada, mas também pela impulsão enorme - e habitual - de Gustavo na jogada. Bem posicionado na grande área, o centroavante não teve dificuldades para ganhar da marcação e chegar a sua segunda assistência no ano. 

Alerta para o futebol pouco inspirado apresentado pelo Corinthians no geral da partida, mas destaque para o ótimo momento de Gustavo na temporada e para a boa movimentação no ataque na reta final do duelo.