Trecho de documento da denúncia do Inter contra o Vitória no STJD (Foto: Reprodução)

Trecho de documento da denúncia do Inter contra o Vitória no STJD (Foto: Reprodução)

RADAR/LANCE!
09/12/2016
18:11
Porto Alegre (RS)

A CBF enviou ofício ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva declarando que o Internacional utilizou documentos falsos no processo em que pediu a reabertura do caso Victor Ramos. A entidade pede que o STJD faça a "decretação da falsidade dos papéis" e,  em seguida, encaminhe um ofício ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro para "instauração de procedimento criminal destinado a apurar a responsabilidade penal dos autores da falsidade".

Os documentos que a CBF alega serem falsos são e-mails que teriam sido trocados entre o diretor de de registros da CBF, Reynaldo Buzzoni, e dirigente do Vitória em que o clube baiano era aconselhado a seguir os trâmites de transferência internacional na contratação do zagueiro Victor Ramos. A suposta conversa vazou em alguns veículos de imprensa. 

"Tal documentação, apresentada e juntada aos autos do processo pelo Sport Club Internacional, teve sua autenticidade impugnada por ser desprovida de fé, conforme procedimento hoje protocolado no STJD", diz trecho do comunicado da CBF. 

O vice-presidente jurídico do Internacional, Giovani Gazen, declarou à Rádio Gaúcha que toda documentação que consta na petição do clube é verídica e que a CBF deverá provar o que diz. 

- Todos os nossos documentos são autênticos e idôneos. Fizemos uma pesquisa em vários países com mais de 500 páginas. O acusador deverá provar a falsidade dos e-mails. 

Entenda o caso: 

Na briga contra o rebaixamento para a Série B, o departamento jurídico do Internacional entrou com pedido no STJD para que fosse reaberto um processo por suposta irregularidade no registro do zagueiro Victor Ramos, do Vitória, rival direto na luta contra o descenso. A queixa foi feita pelo Bahia, ainda durante o Campeonato Estadual. O argumento é de que a contratação do jogador, que tem vínculo com o Monterrey (MEX), não seguiu os trâmites exigidos pela Fifa em transferências internacionais. O Vitória, assim como a CBF, alegam que não havia a necessidade porque o jogador, que até o fim do ano passado estava emprestado ao Palmeiras, ainda tinha sua documentação no Brasil. 

Os supostos e-mails vazados pela imprensa, e que a CBF alegam serem falsos, mostravam o diretor de registros da entidade, Reynaldo Buzzoni, dzendo ao chefe de registros e contratos do Vitória, Edson Vilas Boas, que era preciso seguir os trâmites de negociação internacional, o que iria de encontro ao que têm alegado CBF e Vitória. 

Confira abaixo a íntegra do comunicado da CBF:

"Tendo em vista a matéria veiculada pela imprensa relacionada ao registro do atleta Victor Ramos, do Esporte Clube Vitória, a Confederação Brasileira de Futebol esclarece que arguiu hoje, no Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), a falsidade de e-mails atribuídos ao Sr. Reynaldo Buzzoni, Diretor de Registro e Transferência da entidade.

Tal documentação, apresentada e juntada aos autos do processo pelo Sport Club Internacional, teve sua autenticidade impugnada por ser desprovida de fé, conforme procedimento hoje protocolado no STJD"