Jorge Ricardo, o Ricardinho, é jóquei que mais vezes foi segundo colocado no GP Brasil, cinco vezes: Bowling (86), Falcon Jet (90), Much Better (93), Istbestand (2003) e Evil Knievel (04)

J. Ricardo, o Ricardinho, é o maior ícone do turfe nacional (Arquivo JCB)

RADAR/LANCE!
01/02/2018
19:21
Rio de Janeiro (RJ)

O jóquei brasileiro Jorge Ricardo, há 11 anos radicado na Argentina, voltará no domingo às pistas do hipódromo da Gávea para participar de oito das dez pro-
vas programadas. E por um motivo muito especial: festejar o possível recorde mundial de vitórias. Hoje, Ricardinho soma 12.840 triunfos e está a apenas quatro do atual recordista, o aposentado canadense Russell Baze. Como ainda correrá na Argentina hoje e amanhã, é possível que ele, no domingo, já até te-
nha ulltrapassado o rival.
– Foi na Gávea que obtive a maioria das minhas vitórias, onde tudo começou e o local da minha consagração. Festejar o recorde de vitórias com o meu público será um momento inesquecível – disse Ricardinho, que nos últimos dez anos revezou com Baze como o recordista mundial. O brasileiro poderia ter retomado o Top1 há mais tempo, porém, uma queda que sofreu durante uma prova na Argentina em março do ano passado resultou numa fratura de fêmur e o tirou de ação por meses (desde a sua volta, ele venceu 27 provas). Ricardinho tem 56 anos e é profissional do turfe desde 1977.

Ricardinho receberá homenagem do clube do seu coração, o Botafogo
Ricardinho é torcedor fanático do Botafogo e no domingo será homenageado pelo clube do seu coração. Receberá uma placa e uma camisa estilizada, com o
número 12.841 às costas, em alusão ao recorde. Além disso, uma das provas  receberá o nome de Botafogo de Futebol e Regatas, e Ricardinho, é claro,
vai querer vencer. Quem sabe, não será nela que o jóquei retomará o recorde?
Vale ressaltar que além da presença de Ricardinho, o domingo marcará a abertura da Tríplice Coroa (com a primeira das três provas clássicas do ano
turfístico) e a diretoria do jóquei vai aceitar apostas a preços populares, a partir de R$ 2. Em razão disso, a diretoria do Jockey Club do Brasil estima na presença
de público recorde.