Tiago Volpi

Volpi não brilhou neste início de trajetória no São Paulo (Foto: Thiago Rodrigues/O Fotográfico)

Fellipe Lucena
20/02/2019
08:00
São Paulo (SP)

Recebido com entusiasmo pela torcida do São Paulo, Tiago Volpi já está sentindo na pele a dificuldade de ser o goleiro titular do São Paulo na era pós-Rogério Ceni. Ele falhou na derrota por 2 a 1 para o Corinthians, algo que já havia acontecido contra o Santos, e sofre com a desconfiança de parte da torcida.

Abaixo, o LANCE! faz um raio-x dos cinco jogadores que já defenderam a meta são-paulina após a aposentadoria de Rogério Ceni, em2015: Denis, Renan Ribeiro, Sidão, Jean e Tiago Volpi. Nenhum convenceu a galera.

Dentre esses cinco, Volpi tem a pior média de gols sofridos: 1,4 por partida, seguido por Renan Ribeiro (1,2), Sidão (0,98), Denis (0,96) e Jean (0,76). 

DENIS - 2016 e 2017 (78 jogos, 75 gols sofridos)

Denis - São Paulo
Denis no São Paulo (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

No clube desde 2009, virou dono da posição após a aposentadoria de Ceni. Em 2016, embora tenha cometido alguns vacilos na Libertadores, ficou fora de apenas duas partidas e teve a maior sequência de um goleiro como titular na era pós-Mito: 43 jogos seguidos. Em 2017, revezou-se com Sidão e Renan Ribeiro nos primeiros jogos da temporada até que Ceni, à época treinador, optasse por dar sequência a Renan. Saiu no fim daquele ano e foi para o Figueirense, equipe que defende até hoje.

RENAN RIBEIRO - 2016 e 2017 (32 jogos, 39 gols sofridos)

Renan Ribeiro ficou sem levar gol após sete jogos
Renan Ribeiro no São Paulo (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Contratado do Atlético-MG em 2013, foi o reserva imediato de Denis em 2016, ano seguinte à aposentadoria de Ceni, e participou de apenas duas partidas. Em 2017, começou como terceira opção (nem foi utilizado nos jogos da Florida Cup), mas entrou no rodízio com Denis e Sidão e acabou convencendo o técnico Ceni a escalá-lo como titular. Fez 30 jogos naquele ano, sendo 26 consecutivos.

Ele perdeu a posição para Sidão na reta final do Brasileirão e até hoje diz que não entende a decisão de Dorival Júnior. Saiu do Tricolor no fim de 2017, para o Estoril (POR), e hoje está no Sporting (POR).

SIDÃO - 2017 e 2018 (73 jogos, 72 gols sofridos)

Sidão
Sidão no São Paulo (Foto: Eduardo Carmim/Photo Premium)

Foi contratado do Audax no início de 2017, a pedido de Ceni, e deixou um bom cartão de visitas: venceu as disputas de pênaltis contra River Plate (ARG) e Corinthians, na Florida Cup, jogos em que substituiu Denis no intervalo e não tomou gols.

Mas ele demorou para virar o dono da posição. Após um rodízio com Denis e Renan Ribeiro no início de 2017, só foi efetivado nos 18 últimos jogos da temporada, por Dorival Júnior. Somando as primeiras partidas de 2018, atingiu sua maior sequência no clube: 30 jogos seguidos. Muito criticado pela torcida, perdeu a posição para Jean na reta final do Brasileirão e saiu do clube rumo ao Goiás em janeiro de 2019.

JEAN - 2018 e 2019 (21 jogos, 16 gols sofridos)

São Paulo x Grêmio - Jean
Jean no São Paulo (Foto: EDUARDO CARMIM PHOTO PREMIUM)

Maior investimento do clube para a posição desde que Ceni parou. Chegou do Bahia no início de 2018, como reserva de Sidão, e assumiu de fato a vaga de titular na reta final do Brasileirão. Jogou nove das últimas dez rodadas da competição - perdeu um jogo devido a uma expulsão contra o Vitória. Até hoje, conseguiu fazer no máximo seis partidas seguidas como titular (duas vezes, uma nas seis rodadas finais do Brasileirão e uma no início de 2018, aproveitando lesão de Sidão).

Tinha a expectativa de começar 2019 como titular, mas Tiago Volpi chegou e já assumiu essa condição. Jogou 45 minutos em cada jogo da Florida Cup e foi titular contra o São Bento, pelo Paulistão, quando Jardine escalou reservas.

TIAGO VOLPI - 2019 (10 jogos, 14 gols sofridos)

Tiago Volpi
Volpi no São Paulo (Foto: Bruno Ulivieri/O Fotográfico/Lancepress!)

Chegou por empréstimo até dezembro de 2019 após tornar-se ídolo no Querétaro, do México. Logo assumiu a condição de titular, superando a concorrência de Jean, mas ainda não se firmou. Falhou nos dois clássicos que disputou na temporada e já sofre pressão.

Até o momento, Vagner Mancini não deu sinais da escalação que pretende utilizar domingo, contra o Red Bull, no Morumbi. Quem joga? Volpi ou Jean?