Montagem Copa do Mundo Feminina

(Arte: Marina Cardoso/Lance!)

LANCE!
26/06/2019
19:22
Paris (FRA)

A vitória da Holanda sobre o Japão, na última segunda-feira, em Rennes definiu as oito seleções classificadas para as quartas de final da Copa do Mundo feminina da França. As equipes europeias dominam os confrontos com sete representantes. A exceção são os Estados Unidos, grande favorita ao título. 

Os duelos eliminatórias se iniciam nesta quinta-feira, em Le Havre, às 16h (de Brasília), com a partida entre Noruega e Inglaterra. Na sexta-feira, será realizado o esperado confronto entre francesas e americanas, duas grandes candidatas a levantar a taça, às 16h, no Estádio Parc des Princes, em Paris. No sábado, dois jogos encerram a disputa e definem as quatro melhores do mundo. Itália e Holanda entram em campo, às 10h, em Valenciennes. Mais tarde, às 13h30 Alemanha e Suécia vão brigar pela última vaga, em Rennes. 

Confira os destaques de cada confronto: 

Noruega x Inglaterra

Inglaterra x Japão
Ellen White é vice-artilheira da Copa, com 4 gols (Foto: Reprodução)

Noruega e Inglaterra abrem os confrontos das quartas, na quinta-feira, às 16h, no Stade Océane, em Le Havre, mesmo local em que o o Brasil foi eliminado pela França, no domingo. Terceira colocada da última Copa do Mundo, a Inglaterra terminou a primeira fase na liderança do Grupo D, com vitórias sobre Escócia, Argentina e Japão. Nas oitavas, o English Team despachou Camarões ao vencer por 3 a 0, com tranquilidade. Com uma defesa sólida, as inglesas sofreram apenas um gol no torneio, no triunfo por 2 a 1 sobre a Escócia na estreia. Além disso, contam com a vice-artilheira do Mundial: a atacante Ellen White, com quatro gols. 

Já a Noruega, campeã mundial em  1995, foi a segunda colocada no Grupo A, na fase de grupos. O time estreou com vitória sobre a Nigéria, perdeu para a França e derrotou a Coreia do Sul. Nas oitavas, a seleção norueguesa avançou ao superar a Austrália, por 4 a 1, nos pênaltis, seguido do empate por 1 a 1 no tempo normal e prorrogação. A meia Caroline Graham Hansen é o destaque da equipe. Aos 24 anos, assinou contrato de dois anos com o Barcelona, em maio desse ano, depois de cinco temporadas de sucesso no Wolfsburg, da Alemanha. No Mundial da França, já marcou uma vez e tem tido boas atuações. 

França x Estados Unidos

Nigéria x França
Com 1,87m, Renard é perigosa na bola aérea (Foto: FRANCK FIFE / AFP)

França e Estados Unidos fazem o duelo mais aguardado das quartas, na sexta-feira, às 16h, no Estádio Parc des Princes, em Paris. As anfitriões venceram os três jogos que disputaram na primeira fase, pelo Grupo A. Na estreia, golearam a Coreia do Sul, por 4 a 0. Depois superaram Noruega, por 2 a 1 e Nigéria, por 1 a 0. Com 1,87m de altura, a zagueira Renard foi fundamental na campanha, com três gols. Nas oitavas, as francesas venceram o Brasil, por 2 a 1, na prorrogação, com dificuldades. A torcida local têm prestigiado o time e pode fazer a diferença no duelo. 

Do outro lado, os Estados Unidos fizeram jus ao franco favoritismo, no Grupo F. A seleção tricampeã do mundo terminou a fase de grupos com a melhor campanha entre todas as equipes, com três vitórias em três jogos e 18 gols de saldo. As norte-americanas passaram por Chile, Suécia e Tailândia. Contra as asiáticas, aplicaram a maior maior goleada da história das Copas: 13 a 0.  Nas oitavas, derrotaram a Espanha por 2 a 1, em um duelo equilibrado. A principal arma da equipe é a atacante Alex Morgan, artilheira do torneio, com cinco gols, ao lado da australiana Sam Kerr. 

Itália x Holanda

Martens
Martens marcou dois contra o Japão nas oitavas (Foto: FIFA)

No sábado, às 10h, em Valenciennes, Holanda e Itália abrem as disputas. Uma das candidatas ao título, a seleção holandesa foi 100% na primeira fase, no Grupo E, com vitórias sobre a Nova Zelândia (1 a 0), Camarões (3 a 1) e Canadá (2 a 1). Nas oitavas, venceu o Japão por 2 a 1, no último minuto, com dois gols da atacante Lieke Martens, a craque da equipe. 

No mesmo grupo do Brasil, a Itália venceu Austrália, goleou a Jamaica e foi derrotada pela Seleção, mas acabou na liderança do grupo pelo saldo de gols (5). Nas oitavas, as italianas venceram a China por 2 a 0, com um gol em cada tempo, marcados por Giacinti e Gall. A meia Barbara Bonansea é a grande arma da Itália para avançar à semifinal. A jogadora de 27 anos é destaque da Juventus, desde 2017 e é conhecida no país pela habilidade fora do comum, a facilidade de encontrar espaços e a velocidade. Na França, já marcou dois gols. 

Alemanha x Suécia

Dzsenifer Marozsán - Alemanha
Marozsán comanda a criação da Alemanha (Foto: AFP)

Ainda do sábado, às 13h30, em Rennes, Alemanha e Suécia duelam pela última vaga entre as quatro melhores do mundo. A seleção alemã, vencedora dos Mundiais de 2003 e 2007 fez uma primeira fase impecável, no Grupo B, ao vencer China (1 a 0), Espanha (1 a 0) e África do Sul (4 a 0). Nas oitavas,  confirmou o favoritismo e passou sem dificuldades pela Nigéria, com triunfo por 3 a 0.  A alentosa camisa 10 Dzsenifer Marozsán, do Lyon, comanda o meio-campo alemão na busca pelo tri. 

Segunda colocada do grupo F, a Suécia foi derrotada apenas pelos Estados Unidos, na primeira fase e venceu Chile e Tailândia. Nas oitavas, as suecas despacharam as canadenses, com triunfo por 1 a 0, com destaque para a veterana goleira Lindahl, de 36 anos, que mostrou estar em plena forma ao defender pênalti cobrado por  Beckie para garantir a classificação.