Montagem Alan Santos, Jean e Cícero

Alan Santos, Jean e Cícero são algumas das opções de Barroca (Foto: Divulgação)

Sergio Santana
30/07/2019
09:00
Rio de Janeiro (RJ)

O Botafogo vai tentar conquistar a classificação para as quartas da Copa Sul-Americana convivendo com problemas. Após perder o jogo de ida do confronto contra o Atlético-MG por 1 a 0 no Estádio Nilton Santos, a equipe comandada por Eduardo Barroca terá que, obrigatoriamente, vencer no Independência para chegar à vaga. A partida será na próxima quarta-feira.

O Botafogo vai entrar em campo com uma improvisação no miolo de zaga. Expulso no primeiro jogo, Joel Carli cumprirá suspensão automática e Gabriel, emprestado pelo Atlético-MG, só pode jogar contra o ex-clube mediante o pagamento de uma multa, o que foi descartado pelo Botafogo. O LANCE!, desta forma, apresenta cinco alternativas para Eduardo Barroca encontrar o parceiro ideal de Marcelo Benevenuto para a partida.

JEAN

Jean - Botafogo
Jean é volante (Foto: Vítor Silva/SSPress/Botafogo)

A opção praticamente automática que aparece para substituir Joel Carli é Jean, por ser um jogador marcado pelo desempenho defensivo. Primeiro volante, o atleta de 24 anos não jogou muito com Eduardo Barroca - inclusive, foi expulso em uma partida da Copa Sul-Americana, contra o Sol de América - mas atuava com regularidade na passagem de Zé Ricardo no comando técnico e oferece marcação e bom aproveitamento nos botes rasteiros.

O que conta contra Jean é, justamente, o histórico disciplinar. Jean faz muitas faltas e ainda não conseguiu se desenvolver com Barroca. Característica por característica, porém, é o que mais se aproxima de um defensor central. Tem 1,83 m - é dois centímetros mais alto que Gabriel -  e não entra em campo desde o dia 2 de junho, quando o Botafogo venceu o Vasco por 1 a 0.

ALAN SANTOS

Alan Santos - Botafogo
Alan Santos é um dos mais altos (Foto: Vítor Silva/SS Press/Botafogo)

Alan Santos é outro volante que pode atuar, de forma improvisada, como zagueiro. Diferente de Jean, o atleta de 28 anos não se destaca tanto no quesito defensivo, na questão da marcação, mas se destaca no toque de bola, algo que Eduardo Barroca considera imprescindível em um zagueiro, principalmente para substituir Gabriel, jogador do Botafogo que mais acerta passes. Além disto, tem 1,85m, sendo um dos atletas mais altos do elenco.

Alan Santos pode não ser o mais defensivo - por mais que também faça o trabalho de marcação -, mas, na teoria, se encaixa no conceito de jogo colocado pelo treinador do Botafogo, que, inclusive, elogiou o meio-campista há certo tempo. Por conviver com lesões desde sua chegada, o atleta soma apenas sete partidas com a camisa alvinegra, não atuando desde a mesma vitória por 1 a 0 sobre o Vasco, em junho.

FERNANDO

Fernando - Botafogo
Fernando foi titular no começo da 'Era Barroca' no Botafogo (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

Fernando é um dos atuais reservas que mais atuou com Eduardo Barroca. O lateral-direito voltou de empréstimo junto ao Lille, da França, após a disputa do Carioca e foi, frequentemente, utilizado desde a contratação do atual técnico. Entre suas qualidades, o atleta de 20 anos, ultimamente colocado no banco de reservas, se destaca justamente pela parte defensiva.

Com 1,82m de altura, Fernando atuou poucas vezes como zagueiro durante os jogos nas categorias de base do Botafogo. Em nenhuma destas, é necessário dizer, o atleta começou atuando na posição - na verdade, ele foi deslocado por necessidade de jogo, como, por exemplo, a lesão de um atleta do setor. Não entra em campo desde o empate sem gols contra o Cruzeiro, há duas semanas.

CÍCERO

Cícero - Botafogo
Cícero se destaca pelo jogo aéreo (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

Um dos jogadores mais experientes do Botafogo e homem de confiança de Barroca, Cícero é outra opção para a partida. Apesar de não ter atuado no setor durante a carreira, o volante, com 1,83 m de altura, se coloca à disposição pelo aproveitamento positivo no jogo aéreo, algo importante para um zagueiro. O atleta de 35 anos, porém, vem somando partidas como primeiro volante.

No jogo de ida, no Nilton Santos, Cícero atuou como zagueiro após a expulsão de Joel Carli. Como o Botafogo não podia mais fazer substituições, Barroca decidiu mudar as peças que já estavam dentro de campo, e o camisa 20 foi escolhido para compor o sistema defensivo. A tendência, porém, é que ele se mantenha na posição de origem.

LUCAS BARROS

Lucas Barros - Botafogo
Lucas Barros jogou contra o Flamengo (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

Em tese, o nome de Lucas Barros é o que menos se encaixa na realidade de um zagueiro. Apesar de ser lateral-esquerdo, o atleta, oriundo das categorias de base, entrou em uma posição mais avançada do campo na partida contra o Sol de América, na fase anterior da Sul-Americana, porque Eduardo Barroca tinha o plano de aproveitar suas qualidades ofensivas. 

Apesar disto, Lucas Barros aparece por fora nessa 'briga' pelo zagueiro improvisado. Com 1,80m de altura, o atleta de 19 anos nunca atuou na posição em partidas dos times inferiores do Botafogo, mas entrou em campo contra o Flamengo, no último domingo, e está no radar de Eduardo Barroca.

E AÍ, BARROCA?

Eduardo Barroca - Botafogo
Treinador vive um drama (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

Como apresentado, Eduardo Barroca possui diferentes opções para completar a dupla de zagueiros com Marcelo Benevenuto, marcado pela velocidade e cobertura de espaços. Os usuais titulares do Botafogo são Carli e Gabriel - respectivamente um atleta com boa estatura, com destaque no jogo aéreo, e um menor, com passe apurado e noção de posicionamento.

Se o quesito escolhido for estatura - já que Marcelo Benevenuto possui apenas 1,80 m -, Alan Santos, justamente pela altura, ou Cícero, na questão de imposição física, saem em vantagem. Se for a parte defensiva, o destacado é Jean, com características de marcação forte e colocação de primeiro volante. É mais uma questão que Eduardo Barroca terá que solucionar.