Peñarol x Fluminense

Tricolor não vencia desde o dia 23 de maio, quando goleou o Atlético Nacional (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)

Joel Silva
24/07/2019
00:26
Rio de Janeiro (RJ)

Assim como aconteceu em 2018, quando venceu em solo uruguaio o Defensor e o Nacional, o Fluminense novamente traz na bagagem um resultado positivo, dessa vez ao bater o Peñarol, por 2 a 1, pela Copa Sul-Americana. O Tricolor entrou em campo pressionado pelo jejum de vitórias, que já durava oito jogos, e saiu dele como o clube brasileiro mais vitorioso na competição.

Yony, Muriel, Ganso e Marcos Paulo foram os destaques do Tricolor, que volta a enfrentar o Peñarol na próxima terça-feira, no Maracanã. O Fluminense se classifica para as quartas de final até com derrota por 1 a 0.

Estreia em grande estilo

Muriel - Fluminense
(Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.)

O goleiro Muriel fez contra o Peñarol a sua estreia com a camisa do Fluminense e mostrou o seu cartão de visitas. Com os pés, apresentou uma certa dificuldade em trocar passes, porém foi muito bem quando exigido, fazendo grandes defesas. Não teve culpa no gol adversário. Apresentou mais segurança do que Agenor, no entanto ainda vai precisar de mais tempo para se adaptar ao estilo de jogo do time.

Equilíbrio ofensivo

Peñarol x Fluminense
LUCAS MERÇON/FLUMINENSE F.C.

A lesão no tornozelo direito de João Pedro fez com que o atacante desfalcasse o Fluminense e a ausência dele acabou dando mais equilíbrio ao ataque tricolor. Em seu lugar entrou Marcos Paulo, que possui as características de atuar pelos lados do campo, diferentemente de João Pedro. Com a titularidade de Pedro, a joia de Xerém vinha desempenhando essa função, deixando de ser a referência na grande área. Marcos Paulo ofereceu mais mobilidade ofensiva, dando opção de contra-ataque e uma ajuda maior no combate pela bola.

Brilho colombiano

Peñarol x Fluminense
LUCAS MERÇON/FLUMINENSE F.C.

O ataque mais equilibrado propiciou um melhor jogo de Yony González, o grande destaque da partida. O colombiano teve liberdade para atacar os espaços e aproveitando a velocidade, marcou dois gols, um em cada tempo. O primeiro, com assistência de Marcos Paulo e o segundo, passe primoroso de Daniel. Ao balançar as redes, Yony quebrou um incômodo jejum que durava oito jogos. A última vez que marcou, foi na vitória do Fluminense sobre o Grêmio, por 5 a 4. Na ocasião também fez dois gols. 

Talento e entrosamento

Peñarol x Fluminense
LUCAS MERÇON/FLUMINENSE F.C.

Pela primeira vez desde que a bola voltou a rolar depois da Copa América, o técnico Fernando Diniz escalou o meio-campo com Allan, Daniel e Ganso. O trio, que é considerado titular, não decepcionou e, cada um, dentro do seu estilo, conseguiu se destacar na partida. Como era esperado, Allan melhorou a saída de bola da equipe e fez com que Daniel e Ganso jogassem mais avançados, recebendo os passes em condição de perigo para o adversário. Daniel foi o motorzinho de sempre, sendo coroado com uma bela assistência para o segundo gol de Yony. Ganso também foi muito bem, ditando o ritmo do Fluminense, acelerando e segurando as jogadas quando era necessário.

Recorde e quebra de jejum

Peñarol x Fluminense
LUCAS MERÇON/FLUMINENSE F.C.

A vitória diante do Peñarol foi importantíssima para o Fluminense e também para o técnico Fernando Diniz, que já começava a ser bastante pressionado pelos resultados negativos. De uma só vez, o Tricolor quebrou um jejum de oito jogos sem vencer e de quebra se tornou o clube brasileiro com mais vitórias na Copa Sul-Americana. Em 49 partidas, o Fluminense venceu 24, empatou 12 e perdeu 13. O São Paulo está na segunda colocação com 23 vitórias, porém disputou 56 jogos.